• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Trabalhadores da saúde realizam protesto em Santo André

Mobilização reuniu profissionais, em sua maioria mulheres, representados por três sindicatos da área da saúde no ABC

Publicado: 25 Setembro, 2019 - 11h51

Escrito por: Redação - Sindsaúde ABC

Divulgação
notice

Apitaço, vaias, aplausos, palavras de ordem, bandeiras, faixas, cartazes, animação e muita disposição de luta em defesa da saúde. Assim pode ser resumida a manifestação realizada na manhã dessa terça (24) em frente à Prefeitura de Santo André, pelos trabalhadores e trabalhadoras da saúde. Logo após o ato, a secretaria de Saúde de Santo André marcou reunião para tratar sobre o tema. 

Representativo, o protesto reuniu profissionais, em sua maioria mulheres, representados pelos três sindicatos da área da saúde no ABC: o SindSaúde ABC, o Sindacs (agentes comunitários de saúde) e o SindServ Santo André (servidores municipais) e contou também com a participação e apoio de diversos sindicatos da região.

Em seus pronunciamentos, os representantes dos três sindicatos – Almir Rogério “Mizito”, presidente do SindSaúde ABC; Rodrigo Rodrigues Costa, presidente do Sindacs; e Wagner do Nascimento, coordenador do SindServ – denunciaram as péssimas condições a que estão submetidos os trabalhadores da saúde, como falta de funcionários, sobrecarga de trabalho, assédio moral, falta de medicamentos, de uniformes, de equipamentos de proteção individual, além de descumprimento de acordos e a falta de uma mesa de negociação permanente e efetiva, entre outros problemas.

Conciliação – Após a fala dos sindicalistas, “Mizito” informou que, em função da mobilização dos trabalhadores da Fundação do ABC, foi realizada ontem audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho, à qual compareceram representantes da Fundação do ABC e três das quatro prefeituras onde a FUABC gere os serviços de saúde: São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e Mauá. “Somente a Prefeitura de Santo André não compareceu e nem justificou ausência”, disse o dirigente.

Após fazer um resumo da audiência, “Mizito” propôs o seguinte encaminhamento: suspender as paralisações por 30 dias, prazo solicitado pela FUABC e as prefeituras para apresentarem uma proposta; no caso da Faculdade de Medicina do ABC, onde a greve completa uma semana hoje, a trégua é de 10 dias, período também solicitado pelas partes; passado esse prazo, e em não havendo uma proposta favorável, a greve será retomada.

Colocado em votação, o encaminhamento foi aprovado por unanimidade. “Quero parabenizar os trabalhadores da Fuabc, em especial as companheiras da Faculdade de Medicina, pela garra e coragem, e os agentes comunitários de saúde e servidores de Santo André, pela mobilização e disposição de luta. Uma luta que ainda não terminou”, concluiu o sindicalista.

Logo após a manifestação, a Secretaria da Saúde de Santo André agendou reunião para o final da tarde de hoje, cujo resultado será informado amanhã (24/09), através dos meios de comunicação do Sindicato.