• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Trabalhadores da GV do Brasil fazem paralisação pela Campanha Salarial

A fábrica dobrou a produção. Foi o ano inteiro de produção cheia, rodando 3 turnos, excesso de jornada e a empresa não quer pagar nada além da inflação

Publicado: 20 Outubro, 2020 - 18h08 | Última modificação: 20 Outubro, 2020 - 18h12

Escrito por: Guilherme Moura - Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba e Região

Guilherme Moura
notice

Os trabalhadores da GV do Brasil, em Pindamonhangaba, fizeram uma paralisação nessa terça-feira, dia 20, pela Campanha Salarial.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos, este ano a empresa dobrou sua produção. Em todos os meses teve produção cheia e excesso de jornada.

De acordo com o dirigente sindical na GV, Paceli Alves, a direção da empresa não aceita nenhuma proposta além da reposição da inflação, calculada em 2,94%.

Em assembleia, os trabalhadores reprovaram essa condição da empresa para buscar uma nova proposta, seja de aumento real ou abono salarial. Um comunicado de greve também foi aprovado e protocolado na empresa.

Segundo o presidente do sindicato, André Oliveira, a PLR (Participação nos Lucros e Resultados) também está na pauta. A empresa quer manter o mesmo valor do ano passado, mesmo com o aumento da produção.

“Desde outubro de 2019 a empresa está com nova jornada em três turnos de produção para dar conta da demanda. Os trabalhadores reivindicam uma proposta que corresponda à realidade da empresa e o sindicato está aqui para representá-los”, disse.

A GV do Brasil, do grupo Simec, atua no ramo do aço para construção civil e tem cerca de 480 funcionários.

O dirigente sindical na GV do Brasil, Paceli AlvesO dirigente sindical na GV do Brasil, Paceli Alves