MENU

Terça (15): CUT e sindicatos convocam para ato global contra a guerra na Ucrânia

Em São Paulo, manifestação será na Praça do Patriarca, no centro da capital, às 10h

Publicado: 10 Março, 2022 - 11h10 | Última modificação: 10 Março, 2022 - 14h40

Escrito por: Rafael Silva - CUT São Paulo

Arte: Maria Dias/CUT-SP
notice

Na próxima terça-feira (15), sindicatos do mundo inteiro estarão nas ruas exigindo o fim da guerra na Ucrânia, que entrará na terceira semana.

Em São Paulo, o ato será na Praça do Patriarca, no centro da capital, a partir das 10h, com a organização da CUT e dos sindicatos filiados à entidade.

A campanha internacional #SindicatosPelaPaz teve início em 24 de fevereiro, data em que a Rússia iniciou ataques à Ucrânia. A iniciativa envolve grande parte das entidades ligadas à Confederação Sindical Internacional (CSI).

Para o movimento sindical, é a classe trabalhadora quem sofre as consequências das guerras que ocorrem pelo mundo, seja pelos ferimentos e mortes, pela migração forçada ou pelos dramáticos efeitos econômicos e sociais de qualquer crise envolvendo armas e forças militares.

O ato também pede o fim das demais guerras ocorridas pelo mundo. Atualmente, além da Ucrânia, existem outros 28 conflitos em andamento, em grande parte envolvendo forças desproporcionais de um dos lados – com a ajuda e interferências de outras nações baseadas em seus interesses comerciais. Entre os países com ataques ativos estão Iêmen, Síria, Nigéria, Sudão do Sul, República Democrática do Congo e Azerbaijão, além do massacre vivido pela população palestina.

Em nota emitida no fim de fevereiro, a Executiva da CUT Brasil reiterou seu posicionamento de que todos os conflitos devem ser resolvidos por meio do diálogo e o respeito aos direitos humanos deve ser garantido. “As diferenças políticas e as disputas internacionais entre Estados devem ser resolvidas pela via pacífica e negociada. A guerra, evidentemente, não é um instrumento para restabelecer a democracia e paz e transformou-se em uma parte estrutural e permanente da dominação global, assim como a força militar é usada para controlar povos e recursos estratégicos. Por isso defendemos um mundo onde a garantia dos direitos humanos e os cenários de paz sejam prioridade livre de violências e guerras”, afirma trecho do documento.

Serviço
Não à Guerra na Ucrânia- Sindicatos pela Paz
15 de março – Terça-feira
10 horas
Praça do Patriarca – Centro de São Paulo (SP)