MENU

Telma Victor assume presidência da CUT São Paulo; confira outras mudanças na direção

Alterações são temporárias e ocorrem durante o processo de disputa eleitoral no país

Publicado: 01 Junho, 2022 - 17h19

Escrito por: Vanessa Ramos - CUT São Paulo

Dino Santos/ CUT-SP
notice

Em outubro serão realizadas eleições nas esferas federal e estadual. Em virtude das pré-candidaturas do presidente da CUT-SP, Douglas Izzo, ao cargo de deputado federal, e do vice-presidente da CUT-SP, Luiz Claudio Marcolino, ao cargo de deputado estadual, passa a existir uma nova configuração na direção da Central em São Paulo, a partir desta quarta-feira (1º).

Isso ocorre porque, de acordo com a Lei Complementar nº 64, de 18 de maio de 1990, os dirigentes sindicais que desejarem concorrer nas eleições terão de se licenciar do cargo quatro meses antes ao pleito, que terá o primeiro turno em 2 de outubro.

Nesse sentido, a professora Telma Victor, que hoje está como secretária de Formação da CUT paulista, assume a presidência da CUT São Paulo no próximo período. É a primeira vez na história da Central estadual que uma mulher ocupa este cargo.

Pedagoga e professora de Arte da rede estadual de ensino desde 1988, na cidade de Pereira Barreto, no interior paulista, Telma iniciou sua militância no Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp) em 1990. Desde então carrega inúmeras trajetórias no movimento sindical. Foi eleita para compor a executiva da CUT-SP pela primeira vez em 2009.

“O Brasil precisa retornar ao desenvolvimento e o estado de São Paulo cumpre papel fundamental nisso. Temos que fortalecer a democracia, garantir os direitos trabalhistas e sociais que têm sido retirados com as políticas do atual governo federal. O segundo semestre deste ano será decisivo com as eleições e seguiremos fortalecendo os nossos sindicatos e comitês de luta em cada cidade. Chega de carestia, fome, pobreza e desemprego”, afirma Telma.

Outras alterações

A vice-presidência da CUT-SP será ocupada pelo bancário Valdir Fernandes, mais conhecido como Tafarel, que continuará comandando a subsede da CUT-SP em Osasco.

“Esse mandato interino servirá para ampliarmos o diálogo com os trabalhadores sobre a importância de elegermos nas eleições legislativas candidatos comprometidos com a classe trabalhadora”, afirma.

CUT-SPCUT-SP
Dirigente Valdir Fernandes

Já a secretaria de Formação será ocupada por João Baptista Nazareth Júnior, dirigente do Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo (Sinpeem).

“Daremos continuidade ao planejamento que vem ocorrendo na Pasta, fortalecendo a formação junto aos sindicatos e buscando contribuir a partir de minha experiência na área da educação. Nosso desafio é grande diante da realidade brasileira e temos o dever de eleger presidente, deputados e senadores que defendam a classe trabalhadora, a democracia e um Estado forte”, defende.  

DivulgaçãoDivulgação
Dirigente sindical João Baptista Nazareth Júnior

Os afastamentos de Izzo e de Marcolino são temporários e não implicam na renúncia dos cargos nos quais atuam hoje. De tal modo, ao final da eleição, eleitos ou não, os dirigentes agora licenciados poderão reassumir seus cargos na CUT São Paulo após a eleição.