• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Servidores paulistas se somam aos protestos em Brasília contra a PEC 32

Trabalhadores criticam proposta apresentada pelo governo Bolsonaro

Publicado: 22 Setembro, 2021 - 18h57 | Última modificação: 23 Setembro, 2021 - 01h47

Escrito por: Vanessa Ramos - CUT São Paulo

Divulgação
notice

De São Paulo a Brasília, servidores paulistas se somam a delegações de diferentes partes do país para protestar nesta semana contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32, de 2020.  

Na capital federal desde o início da semana, nesta quarta-feira (22) sindicatos e movimentos populares realizaram ato em frente ao Anexo II da Câmara dos Deputados.

As ações são contrárias à proposta apresentada pelo governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL) e enfatizam a defesa do serviço público.

> Entenda a proposta completa da PEC 32/20 no site da Câmara dos Deputados
> Saiba mais sobre a tramitação de propostas de emenda à Constituição

Na terça-feira (21), a Comissão Especial que analisa a PEC da reforma Administrativa adiou pela quarta vez a votação do texto. Nesta quarta (22), Comissão Especial que analisa a proposta foi remarcada para as 18h.

CUT-SPCUT-SP
CUT-SP em Brasília

Secretária de Assuntos Jurídicos da CUT-SP, Vivia Martins afirma que a medida pode resultar na piora dos serviços públicos, como saúde e educação, assim como na redução de servidores públicos.

“É a PEC da maldade, é a pior de todas. Quem faz o Estado brasileiro andar é o servidor público. Nosso trabalho é fundamental para o país. Os trabalhadores não merecem redução salarial, nem o fim da estabilidade. Esta proposta será tanto a precarização do trabalho como o fim dos concursos públicos e a piora do serviço público à população que mais precisa”, aponta.

Partidos políticos

Os partidos PT, PCdoB, Psol, PDT, Rede, PSB, Solidariedade e PV fecharam acordo nesta quarta (22) para manter posição contrária à reforma Administrativa.

Ao lado de Vivia, durante o protesto em Brasília, o deputado federal Dagoberto Nogueira comentou sobre reunião realizada hoje por seu partido. "Quem votar pela PEC vai ser expulso do PDT”, destacou.   

“Estamos fazendo isso conscientemente pelo que esse governo vem fazendo contra a classe trabalhadora, sempre com o discurso de que o Brasil não vai para frente. Mas o Brasil não vai para frente pela incompetência desse governo. E quem sempre está pagando a conta é a classe trabalhadora”, afirmou o parlamentar.

Sindsep presente na Marcha em Brasília. Foto: Ivany Almeida/Divulgação SindsepSindsep presente na Marcha em Brasília. Foto: Ivany Almeida/Divulgação Sindsep

Secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam) e vice-presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindsep), João Gabriel Buonovita, também falou sobre a importância de derrotar a PEC 32.

“Estamos aqui para fazer valer a Constituição, os direitos à saúde, à assistência social, à moradia e tantos outros direitos. A saída de Bolsonaro da presidência é urgente. Esse presidente que nos envergonha dentro do país e fora dele, haja visto seu discurso na Assembleia da ONU nesta semana”, disse.  

Durante o ato, Vivia também convocou a população para os protestos agendados para o próximo dia 2 de outubro pelo ‘Fora Bolsonaro’, contra a PEC 32, por emprego decente e a favor da vida.

Saiba mais: Comissão adia para esta quinta-feira votação da reforma administrativa