• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Sentiu: Carlos Bolsonaro reage ao sucesso de documentário sobre “fakeada” do pai

Repórter investigativo Joaquim de Carvalho apontou todos os furos do episódio usado por Jair Bolsonaro para fugir dos debates em 2018 e exige a reabertura do caso

Publicado: 13 Setembro, 2021 - 12h49 | Última modificação: 13 Setembro, 2021 - 12h52

Escrito por: Julinho Bittencourt - Fórum

Reprodução
notice

O sucesso do documentário “Bolsonaro e Adélio – uma facada no coração do Brasil”, feito pelo repórter investigativo Joaquim de Carvalho, pelo cineasta Max Alvim e pelo cinegrafista Eric Monteiro, com produção da TV 247, incomodou o vereador Carlos Bolsonaro (Patriotas-RJ).

Carluxo reagiu em sua conta do Twitter, na manhã deste sábado (11), chamando o filme de “fake news”. “Teremos inquéritos ou algo na linha que qualquer um tem visto?”, perguntou.

O documentário, realizado através de financiamento coletivo dos assinantes e apoiadores do Brasil 247, demonstrou todos os furos do episódio usado por Jair Bolsonaro na disputa presidencial de 2018 para fugir dos debates e assim se tornar presidente da República sem ser confrontado.

O filme, de uma hora e 44 minutos, demonstra, com riqueza de detalhes, todas as inconsistências da história oficial, que vem sendo contada aos brasileiros desde então. Joaquim de Carvalho demonstra como Adélio Bispo de Oliveira era um militante de direita, como esteve no mesmo local em que Carlos Bolsonaro esteve dois meses antes do episódio, revela ainda como os seguranças de Jair Bolsonaro protegeram Adélio e depois foram promovidos e também narra como os prontuários foram escondidos e como o caso foi usado como arma de propaganda para eleger Jair Bolsonaro.

Lançado na noite de ontem como estreia no Youtube, o filme chegou a ter 15 mil espectadores simultâneos e já foi visto por dezenas de milhares de internautas, recebendo fartos elogios do público pela excelência jornalística. “O caso precisa ser reaberto e Carlos Bolsonaro deve ser investigado”, diz Joaquim de Carvalho.

Veja o documentário abaixo:

Texto publicado originalmente no site da Fórum