• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Profissionais do sexo de Campinas emitem nota de repúdio a Oscar Maroni e manifestam apoio a Lula

Trabalhadoras falam sobre respeito e dignidade sobre seus corpos

Publicado: 11 Abril, 2018 - 20h11

Escrito por: Vanessa Ramos - CUT São Paulo

notice

Nesta quarta-feira (11), a Associação Mulheres Guerreiras de Campinas lançou uma carta de repúdio ao pré-candidato ruralista nas próximas eleições, Oscar Maroni, um dos maiores empresários voltados à prostituição de luxo no país.

Ele não apenas comemorou a prisão política de Luiz Inácio Lula da Silva no último sábado (7), com comentários incentivando o assassinato do ex-presidente dentro da prisão, como também ofereceu cerveja gratuita e expôs o corpo nu de uma profissional do sexo, num cenário em que aparece vestido de presidiário.

A imagem viralizou nos últimos dias pela internet, tendo como cenário de fundo as imagens do juiz Sérgio Moro e da ministra Cármen Lúcia, como numa espécie de altar de adoração após o resultado de uma prisão injusta e arbitrária.

Na carta, as mulheres reforçam a luta pela garantia de seus corpos e por dignidade e, ainda, manifestam apoio a Lula. “Nós temos lado nessa luta e o nosso lado é contrário a esse machismo que violenta, machuca e mata corpos e mentes diariamente”. Em outro trecho afirmam que "existe um Lula em cada uma e em cada um de nós e as suas ideias e seus sonhos seguirão conosco eternamente."

Para a ex-ministra de Políticas para Mulheres do governo eleito de Dilma Rousseff, Eleonora Menicucci, as atitudes de Maroni, que não se resumem a este fato, são um retrato do golpe que, segundo ela, é machista, discriminatório e preconceituoso.  “Este golpe e esta prisão injusta, comemorados por este senhor que usa as mulheres como objeto de uso sexual é mais uma representação da violência estrutural da sociedade brasileira, que é de classe, de gênero e racial”, avalia.

Confira, abaixo, a nota na íntegra.

NOTA DE REPÚDIO À AGRESSÃO SOFRIDA PELA MULHER E PROFISSIONAL DO SEXO COMETIDA PELO EXPLORADOR OSCAR MARONI

Nós, da Associação Mulheres Guerreiras, profissionais do sexo de Campinas e unidas por respeito, vimos através desta nota registrar nosso repúdio à atitude do empresário paulista Oscar Maroni, dono da casa liberal Bahamas Club, zona sul de SP, no que diz respeito à agressão à profissional do sexo.

Estão sendo veiculados na mídia fotos e vídeos desse suposto empresário, em que o mesmo exibe uma mulher nua, sendo agredida na sua dignidade como mulher e como profissional do sexo. Nestas imagens e vídeos, a profissional tem a sua boca tapada e é segurada com gestos grosseiros e agressivos pelo empresário, numa clara atitude machista, oferecendo a mulher como presa aos “homens de bem”, defensores da moral e dos bons costumes que comemoravam a prisão do ex-presidente Lula em frente ao seu estabelecimento.

É visível que a mulher e profissional do sexo ali exposta está contrariada, envergonhada com a atitude do empresário e tenta se desvencilhar da humilhação pública. E para completar o cenário grotesco, ao fundo estão expostas as fotos do juiz Sérgio Moro e da Ministra do STF, Carmem Lúcia. Tudo no seu devido lugar.

Nós, profissionais do sexo, somos trabalhadoras e trabalhadores sérios, exigimos respeito no exercício do nosso trabalho e não aceitamos ser tratadas e tratados como objetos. Lutamos diariamente pela garantia de nossos direitos e por dignidade. Nós temos lado nessa luta e o nosso lado é contrário a esse machismo que violenta, machuca e mata corpos e mentes diariamente.

Vale lembrar que foram esses sentimentos de machismo, de violência e de ódio que derrubaram a presidenta legitimamente eleita Dilma Rousseff sem crime algum; que encarceraram Lula sem nenhuma prova, contrariando a Constituição; e que querem calar as vozes daqueles/as que ousam a se levantar em críticas e protestos contra esse fascismo que cresce a cada dia nesse país. Vale lembrar que é esse mesmo ódio que tenta calar as ideias e os sonhos de Luiz Inácio Lula da Silva de construir um país mais justo e mais igualitário para cada um e cada uma.

Diante da atitude covarde e insana desse empresário golpista, repudiamos veementes seus atos machistas, misóginos e criminosos. Lamentamos profundamente que a Lei que “que deve ser para todos”, infelizmente, ainda não alcançou isso. Em tempo, nos solidarizamos com a mulher trabalhadora e profissional do sexo pela violência sofrida e reafirmamos que a nossa luta não vai parar, pois existe um Lula em cada uma e em cada um de nós e as suas ideias e seus sonhos seguirão conosco eternamente.

ASSOCIAÇÃO MULHERES GUERREIRAS DE CAMPINAS/SP
Campinas, 11 de abril de 2018

carregando