• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Professores em greve fazem caminhada a favor da vida e contra aulas presenciais

Ato ocorre nesta sexta (26), com concentração no vão livre do Masp

Publicado: 26 Fevereiro, 2021 - 10h54 | Última modificação: 26 Fevereiro, 2021 - 11h07

Escrito por: Apeoesp

Reprodução
notice

Os professores da rede pública estadual de ensino fazem, nesta sexta-feira (26), uma caminhada no centro da capital paulista contra a volta às aulas presenciais e a favor da vida. O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) informa que a concentração da categoria teve início às 10h no vão livre do Masp, na Avenida Paulista. De lá, os professores seguirão até a Secretaria de Educação (Seduc), no centro da cidade.

Na semana passada, a categoria aprovou, em assembleia realizada de forma remota, a continuidade da greve. Desde 8 de fevereiro, os docentes têm trabalhado de forma remota em protesto à irresponsabilidade do governo estadual de ter determinado o retorno às aulas presenciais em meio ao agravamento da pandemia do coronavírus no estado.

Segundo a presidenta da Apeoesp, a deputada Professora Bebel, o secretário estadual de Educação, Rossilei Soares, continua subnotificando os dados sobre o coronavírus no ambiente escolar. "A Apeoesp recebeu denúncias de mais de 1.070 casos de covid-19 em cerca de 570 escolas estaduais (confira a lista completa aqui). Já são, pelo menos, 17 óbitos. Nós protocolamos representação no Ministério Público e estamos exigindo das diretorias de ensino o fechamento das unidades escolares. São Paulo tem no momento o maior número de pessoas internadas em UTI desde o início da pandemia. Não podemos colocar os nossos professores, alunos e a comunidade escolar em risco. Isso é inaceitável", disse a deputada.

A greve dos professores da rede estadual já conta com a adesão dos sindicatos dos profissionais da educação do município de São Paulo, com o sindicato dos trabalhadores do Centro Paula de Souza, além de centrais sindicais e outras entidades da educação. Ainda na sexta-feira (26), após caminhada até a Seduc, os professores seguirão para a sede da Prefeitura de São Paulo.

"Nós vamos lutar incondicionalmente pela vida. Por isso, queremos a testagem em massa nas escolas estaduais e em todos os colégios públicos. Lutamos pela vacinação já, com a inclusão dos profissionais da educação na primeira etapa juntamente com os profissionais da saúde, idosos e indígenas", destaca Bebel.

Após o protesto, os professores da rede estadual farão no sábado (27), a partir das 14h, uma nova assembleia de forma virtual para decidir os próximos passos da mobilização.

Acompanhe a transmissão da caminhada: