• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Em defesa dos servidores: Nota de repúdio à fala do ministro Paulo Guedes

Guedes comparou a relação entre os servidores e o Estado a uma relação de hospedeiro e parasita

Publicado: 13 Fevereiro, 2020 - 11h28 | Última modificação: 13 Fevereiro, 2020 - 11h31

Escrito por: SindSaúde-SP

reprodução
notice

O SindSaúde-SP repudia a fala do ministro da Fazenda, Paulo Guedes, que chamou as trabalhadoras e os trabalhadores do serviço público de “parasita”. A declaração vem de um banqueiro, que ganha dinheiro por meio da especulação financeira, que implementou há 30 anos a reforma da previdência no Chile, com o plano de capitalização, que está levando os idosos daquele país à miséria.

Enquanto defendia a reforma administrativa, na última sexta-feira (7), em palestra realizada na Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas, Guedes comparou a relação entre os servidores e o Estado a uma relação de hospedeiro e parasita. “O hospedeiro está morrendo, o cara virou um parasita, o dinheiro não chega no povo e ele quer aumento automático, não dá mais”, declarou.

Nós, trabalhadoras e trabalhadores públicos, que atuamos todos os dias atendendo à população, muitas vezes, sem condições mínimas. Não merecemos ser tratados assim. Estão nos tirando tudo, nossos direitos, que foram duramente conquistados, e agora, atacam nossa dignidade. Não somos parasitas, somos trabalhadores que nos dedicamos e merecemos respeito.

O governo federal já retirou as aposentadorias dos trabalhadores CLT e ainda quer reduzir nossos salários em 25%. Aqui em São Paulo, estamos sofrendo diversos ataques, primeiro reduziram o valor das Obrigações de Pequeno Valor (OPV’s), nos jogando para a fila dos precatórios, que está com quase 17 anos em atraso. Agora, querem cortar a aposentadoria dos trabalhadores estatutários e nossa insalubridade. Querem nos ver morrer trabalhando, como podem nos chamar de parasitas depois de todos esses ataques?