• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Nota de apoio ao vereador Matheus Siqueira, do PT de Cerqueira César

Parlamentar, que é professor, atua na Apeoesp e integra a coordenação da subdese da CUT em Bauru, é alvo de uma Comissão Processante que apura quebra de decoro após visitas em escolas municipais

Publicado: 22 Julho, 2021 - 11h36 | Última modificação: 22 Julho, 2021 - 11h44

Escrito por: CUT São Paulo

Reprodução/Arquivo pessoal
notice

Chegou ao conhecimento da direção da CUT São Paulo de que o companheiro Matheus Siqueira, professor da rede pública estadual atuante na Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), integrante da coordenação da subsede da CUT em Bauru, vereador e presidente do PT (Partido dos Trabalhadores) na cidade de Cerqueira César, é alvo de uma Comissão Processante aberta pelo Legislativo cerqueirense para investigar a denúncia de um munícipe, baseada em oficio da Secretaria Municipal de Educação, de que Siqueira teria quebrado o decoro parlamentar ao visitar uma unidade escolar da cidade. 

Segundo as informações que recebemos por meio da nossa subsede, o referido oficio foi uma forma da administração municipal dificultar as ações de fiscalização inclusive dos Vereadores, uma medida que de certa forma atenta contra as atribuições de um parlamentar eleito como representante da população, demonstrando a falta de habilidade da gestão cerqueirense em debater as divergências quando a retomada das aulas presenciais na rede pública do município. 

Se de um lado, a Secretaria Municipal de Educação aponta a retomada das atividades nas escolas, por outro o Vereador que também é profissional da educação buscou mostrar que o momento não era adequado para a volta às aulas e, para isso, na condição de vereador, representante popular e autoridade que é realizou diligencias em escolas da rede para verificar se as mesmas teriam as condições sanitárias necessárias para retomada das aulas. 

Divergir, se opor ao Poder Executivo, lutar em defesa dos trabalhadores, das trabalhadoras e da sociedade não é crime. Pelo contrário, é um direito, é algo que faz parte da nossa democracia que, embora sofra ataques contundentes do próprio presidente da República, ainda existe! 

Portanto, a direção da CUT São Paulo manifesta seu apoio e toda solidariedade ao Vereador Matheus Siqueira, do PT de Cerqueira César, que não fez nada além de suas atribuições não apenas como parlamentar, mas também como educador e militante das lutas em defesa da vida e dos direitos da classe trabalhadora e da população cerqueirense. 

Deste modo, esperamos que os fatos sejam devidamente esclarecidos no curso dos trabalhos da Comissão Processante que deve ser conduzida com isenção e respeito ao contraditório e ao Estado Democrático de Direito. Caso contrário, resta entender que o Vereador Matheus Siqueira é vítima de perseguição política. Orientamos ainda que todos ramos, sindicatos filiados e nossa subsede de Bauru acompanhem de perto os desdobramentos desse processo e, se necessário, mobilizem nossas bases para fazer a defesa do mandato do companheiro Matheus Siqueira, conquistado democraticamente como o vereador mais votado da cidade de Cerqueira Cesar nas eleições de 2020. 

Somos fortes, somos CUT! 

São Paulo, 22 de julho de 2021.

 

Direção da CUT São Paulo