MENU

Moção de apoio à vereadora Juliana Cardoso (PT-SP)

Parlamentar foi vítima de ataques machistas e misóginos vindos do vereador bolsonarista

Publicado: 11 Junho, 2021 - 19h01 | Última modificação: 11 Junho, 2021 - 19h08

Escrito por: CUT São Paulo

Arte: Maria Dias/CUT-SP
notice

A CUT-SP e o Coletivo de Mulheres da CUT manifestam solidariedade à vereadora Juliana Cardoso (PT), que cumpre seu quarto mandato na Câmara Municipal de São Paulo, e foi vítima de ataques machistas e misóginos vindos do vereador bolsonarista Rinaldi Digilio (PSL).

Juliana, feminista e árdua defensora dos direitos das mulheres, vem lutando contra um absurdo projeto de lei do vereador que pretende enfrentar a questão da gravidez na adolescência com abstinência sexual e, descontente com o posicionamento da vereadora, o vereador bolsonarista promoveu ataques, chegando até mesmo a ameaçá-la com a cassação de seu mandato. Além disso, afirmou que a vereadora precisaria “voltar para o Mobral”, insinuando, de maneira preconceituosa, que a discordância viria pela falta de estudos e de inteligência, quando, na verdade, Juliana apenas apontou a ineficácia e fragilidade do projeto e que o mesmo não conta, nem mesmo, com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde.

Exigimos que a Câmara Municipal de São Paulo investigue e puna o vereador Rinaldi Digilio (PSL) de maneira exemplar, pela ameaça e violência política de gênero cometidas contra a vereadora Juliana Cardoso. São acontecimentos como esse que deixam ainda mais evidente o quanto o nossa país está distante da igualdade de direitos entre homens e mulheres.

Toda a nossa solidariedade à vereadora Juliana Cardoso, que protagoniza a luta das mulheres na Câmara Municipal da maior cidade do país, se posicionando contra uma extrema-direita autoritária, machista e misógina.   

Não aceitaremos nenhuma ameaça, não nos calarão e machistas, não passarão!

 

São Paulo, 11 de junho de 2021.

Coletivo de Mulheres da CUT-SP

Direção da CUT-SP