• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Médicos temem fechamento do Hospital Vital Brazil por Doria

Unidade é referência mundial em pesquisa e tratamento de pessoas picadas por animais peçonhentos, com mais de 70 anos de história

Publicado: 03 Junho, 2019 - 11h49 | Última modificação: 03 Junho, 2019 - 12h06

Escrito por: Rodrigo Gomes - Rede Brasil Atual

Marcos Santos/USP Imagens
notice

Médicos do Hospital Vital Brazil relataram ter sido informados que a unidade vai ser fechada pelo governo de São Paulo, atualmente sob o comando de João Doria (PSDB). A unidade é referência mundial em pesquisa e tratamento de pessoas picadas por animais peçonhentos, com mais de 70 anos de história, sendo parte do Instituto Butantan, que há tempos vem sofrendo com o desmonte praticado pelas gestões tucanas. O Instituto negou a intenção de fechar o local, mas o Sindicato dos Médicos do Estado de São Paulo (Simesp) cobrou uma posição do governo paulista, que não se manifestou. 

A médica Christina Terra Gallafrio Novaes, que trabalha no Vital Brazil, usou as redes sociais para comunicar que tinham recebido a informação da direção do hospital. “Hoje nos foi dada triste notícia aqui no Instituto Butantan: O iminente fechamento do Hospital Vital Brazil, referência nacional e internacional em atendimento a acidentados por animais peçonhentos (do qual faço parte há 14 anos), conforme decisão do Secretário da Saúde em concordância com o Diretor do Instituto Butantan”, escreveu. A unidade é parte do Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo o relato, a unidade de pesquisa e os profissionais seriam transferidos para o Hospital Emílio Ribas, que também passa por dificuldades financeiras. “Mudando-nos para qualquer outro hospital, estaríamos diluídos em meio ao atendimento geral, não havendo como prosseguir nas pesquisas clínicas já em andamento, nem tampouco como continuar o treinamento a residentes de instituições como o HC-FMUSP (Hospital das Clínicas), a EPM (Escola Paulista de Medicina) ou de outras que por aqui têm passado. Assim, a médio prazo, os profissionais com a competência específica necessária não seriam repostos, prejudicando também o âmbito assistencial. É acabar com um exemplo de sucesso no tão sofrido SUS”, relatou Christina.

Para o Simesp, a proposta de transferência para o Emíliio Ribas é preocupante e o governo do estado devia apresentar qual seria o plano para substituir o serviço único prestado pelo Hospital Vital Brazil. A unidade elabora soros contra picadas de animais peçonhentos como cobras, escorpiões, aranhas e lagartas. E, além de distribuir o medicamento, presta orientação a outros profissionais no Brasil e no exterior. 

“Além de ser a única unidade de referência para atender acidentes com animais peçonhentos na região metropolitana de São Paulo, os médicos do Vital Brazil oferecem orientações a colegas de outros locais em relação a diagnóstico e prescrição a pessoas acidentadas. Quem atenderá essa demanda com o fechamento se esse serviço de referência não existir mais? Falta responsabilidade do governo e a gestão Doria é responsável por isso. Nos parece que para o governador a vida é só um número”, criticou o diretor do sindicato Gerson Salvador.

Para ele, trata-se de uma medida que vai prejudicar a população mais pobre, das periferias e regiões rurais, onde os acidentes com animais peçonhentos ocorrem com mais frequência “São doenças negligenciadas que, em vez de o governo ampliar o acesso ao tratamento, tem diminuído os recursos em um hospital que custa muito pouco para o estado de São Paulo. O impacto econômico não justifica o fechamento do serviço”, afirmou.

O Instituto Butantan publicou uma nota em seu site negando o fechamento. “O Hospital Vital Brazil (HVB), localizado dentro da instituição, não será fechado. A unidade está funcionando normalmente, com atendimento 24 horas a acidentes com animais peçonhentos e o atendimento à população e os estudos clínicos, que são realizados na unidade, não serão interrompidos.” A Secretaria de Estado da Saúde do governo Doria não se manifestou.