• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

LG e Usiminas colocam 70% dos trabalhadores em férias coletivas em Taubaté

Medida foi tomada após negociação com o Sindmetau (Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região) e o objetivo é reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus nas empresas

Publicado: 02 Abril, 2020 - 11h03 | Última modificação: 02 Abril, 2020 - 11h08

Escrito por: Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região - Sindmetau

Reprodução
notice

A LG Electronics e a Usiminas definiram que 70% dos trabalhadores terão férias coletivas nas fábricas de Taubaté. A medida foi tomada após negociação com o Sindmetau (Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região). O objetivo é reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus nas empresas.

Na LG Eletronics, o acordo foi definido entre os representantes do Sindmetau e da fábrica em reunião na quarta-feira passada, 25 de março Os funcionários serão divididos em dois grupos. O primeiro foi liberado na segunda-feira (30) para um período de 15 dias, com retorno previsto em 14 de abril. O segundo grupo saiu na terça (31), com dez dias de coletivas e volta marcada para 13 de abril.

Funcionários que estão no grupo de risco já foram dispensados no início da semana passada por meio de banco de horas. Desde o dia 31, eles também entraram em férias coletivas, com retornos previstos para 13 e 14 de abril. Todos os estudantes do programa Jovem Aprendiz e os estagiários estão de férias por 30 dias desde o dia último 23.

A LG conta com 950 trabalhadores no total. No começo deste mês, a empresa já havia concedido 10 dias de férias coletivas por falta de peças, já que vários fornecedores são da China, onde os primeiros casos do novo coronavírus foram registrados.

A Usiminas, também em decisão com representantes do Sindmetau, colocou 70% dos trabalhadores em férias coletivas nessa quarta-feira (25), por um período de 20 dias. O retorno está previsto para 14 de abril. A fábrica tem 270 trabalhadores em Taubaté.

Levantamento

Cerca de 65% das empresas da base do Sindmetau estão com as atividades total ou parcialmente paralisadas. As indústrias que ainda não suspenderam a produção estão tomando medidas de prevenção internas e liberando os trabalhadores do grupo de risco.

Mas a suspensão das atividades é considerada pelo Sindmetau como proteção mais eficaz contra o avanço do coronavírus. O Sindicato lançou a campanha Em Defesa da Vida no dia 20 de março. Foram enviados ofícios às empresas alertando para a gravidade da situação em Taubaté, cidade da região que conta com o maior número de casos suspeitos.

O Sindicato se colocou à disposição das empresas para negociar férias coletivas e outras ferramentas de flexibilização da jornada. “O quanto antes retirarmos as pessoas do risco, melhor será o combate ao coronavírus. É uma campanha em defesa da vida”, explicou o presidente do Sindmetau, Claudio Batista, o Claudião.

VW e Ford

As maiores indústrias de Taubaté já aceitaram a recomendação do Sindicato. A Volkswagen (VW) e a Ford estão com as atividades paralisadas desde o dia 23, utilizando os mecanismos de banco de horas e férias coletivas. O retorno, caso a propagação do coronavírus tenha reduzido, está previsto para o dia 14 de abril por conta de feriados.

Empresas de autopeças e fornecedoras da Volks também paralisaram a produção: SM, Gestamp II (dentro da VW), Goodyear, Aethra, Sese, Vamos, Power Colt e SAS. Na Gestamp I, instalada no distrito de Piracaganguá, 80% da empresa está dispensada desde o dia 23 de março.

“As fábricas são ambientes muito favoráveis para a contaminação. Por isso, é importante que os empresários, que ainda não decidiram pela suspensão da produção, procurem o Sindicato para que, juntos, encontremos mecanismos e ferramentas que não prejudiquem os trabalhadores”, afirmou Claudião.