• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Haddad visita fábricas da base e discute geração de empregos

Ex-prefeito da capital conversou com trabalhadores e empresários do ABC sobre alternativas para o futuro da indústria

Publicado: 14 Julho, 2021 - 14h31

Escrito por: Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

Adonis Guerra/ SMABC
notice

Na manhã de ontem, Fernando Haddad, que foi prefeito de São Paulo, ministro da Educação no governo Lula e ficou em segundo lugar nas eleições presidenciais em 2018, visitou o ABC. Haddad esteve na Rassini, em São Bernardo, onde conheceu as instalações da fábrica, conversou com os trabalhadores e com a direção da empresa sobre a situação da indústria na região.

O presidente do Sindicato, Wagner Santana, o Wagnão, ressaltou que este é o momento de discutir com trabalhadores e também com todas as autoridades que têm influência para ajudar a definir o destino econômico e industrial da região.

“Precisamos discutir alternativas, saídas para a crise tanto do ponto de vista econômico como estrutural, política industrial e revitalização da nossa região. Fernando Haddad é uma pessoa importante que estará presente no futuro das decisões do país. Portanto, nada mais interessante que ele tenha conhecimento do que acontece aqui e nos ajude a contribuir com esse debate”.

Revitalizar o ABC

Wagnão destacou ainda que é preciso revitalizar o ABC como forte polo econômico e pensar no futuro do emprego como foco principal. 

“Fomos muito bem recepcionados pela direção da Rassini, demonstramos preocupação conjunta, principalmente em relação à pauta econômica e às dificuldades que as empresas encontram hoje no Estado de São Paulo para desenvolver novos projetos, fazer investimentos, a concorrência com outros Estados na guerra fiscal que tira empregos daqui, particularmente da nossa região”.

Soluções conjuntas

Na parte da tarde, Fernando Haddad se reuniu com empresários de diversos setores da indústria, na empresa Movent, em Diadema, para escutar quais são as principais dificuldades enfrentadas a partir da crise econômica, agravada pela pandemia, e sugestões de medidas para ajudar na recuperação industrial.

Segundo o presidente do Sindicato, política industrial, reforma tributária, incentivo à exportação, à pesquisa e inovação estiveram no centro do debate.

“Foi uma reunião muito produtiva. É possível superar divergências e diferentes visões de mundo, se tivermos a condição e a boa vontade de tentar encontrar soluções conjuntas para os problemas que trabalhadores, empresários e a sociedade em geral vivem em função da falta de política industrial e de estratégias que o Brasil precisa para continuar sendo referência mundial”, completou Wagnão.

A agenda de Fernando Haddad continua hoje na região, com atividades em Santo André e São Bernardo.