• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Funcionários do BB fazem Dia Nacional de Luta contra a reestruturação

Mobilização teve reuniões em agências, tuitaço e colagem de cartazes; calendário de lutas prevê paralisação dia 29

Publicado: 21 Janeiro, 2021 - 22h51 | Última modificação: 21 Janeiro, 2021 - 22h56

Escrito por: Redação - Contraf-CUT

Seeb-SP
notice

Agências do Banco do Brasil (BB) de norte a sul do país realizaram nesta quinta-feira (21) manifestações do Dia Nacional de Luta contra a Reestruturação do banco. O plano de reestruturação apresentado na semana passada pela direção do BB prevê o fechamento de centenas de agências, postos de atendimento e escritórios, além da demissão de 5 mil funcionários. Depois do Dia Nacional de Luta, será preparada uma paralisação no dia 29.

Foram várias manifestações em agências, postos de atendimentos e outras unidades do banco. Em todos os estados foram realizadas reuniões com funcionários, para explicar as perdas que podem ocorrer caso a reestruturação seja efetivada. Em frente a diversas agências foram colocadas faixas e cartazes denunciando a reestruturação e alertando para o impacto no atendimento à população. Para ver fotos das manifestações, clique aqui.

Tuitaço

Bancárias e bancárias também vestiram roupas pretas em protesto contra o pacote que a direção do BB pretende impor. A hashtag #MeuBBvalemais figurou entre os 10 assuntos mais comentados no Twitter, em mais manifestação nas redes sociais, que foi realizada às 11h.

“O dia de hoje foi importante, a gente entrou no top 10 do Twitter. Vamos ampliar mais isso, pois queremos trazer a sociedade para essa mobilização, principalmente para lutar contra essa reestruturação do Banco do Brasil”, disse o coordenador nacional da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), João Fukunaga. 

A CEBB organiza a mobilização contra o plano de reestruturação da direção do BB junto com sindicatos, federações e a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

Paralisação

Fukunaga informou que o Dia Nacional de Luta foi preparado com plenárias de funcionários do banco realizadas por todo o país e que o calendário de lutas continua com a perspectiva de uma paralisação nacional no dia 29. “No dia 29 estamos indicando paralisação de 24 horas, com assembleias sendo realizadas pelos sindicatos. Estamos tomando todas as medidas legais para nos precaver, mas é importante a mobilização. Não é só a declaração de greve em uma assembleia, mas a participação do bancário através da não abertura do ponto eletrônico. Uma greve só declarada pelos sindicatos não serve para nada. Isso não mede forças. Por isso é importante a construção dessa paralisação”, explicou o coordenador da CEBB.