• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Funcionalismo: Pressione os vereadores a votarem contra a reforma da Previdência

Bruno Covas (PSDB) tenta impor, durante o Natal, proposta que já foi derrotada neste ano

Publicado: 13 Dezembro, 2018 - 18h06 | Última modificação: 13 Dezembro, 2018 - 18h38

Escrito por: Rafael Silva - CUT São Paulo

Arte: Maria Dias/CUT-SP
notice

O prefeito Bruno Covas (PSDB) pretende aprovar, ainda neste ano, o projeto de lei (PL) que aumenta o valor de contribuição dos servidores para o fundo de Previdência do município de São Paulo. 

No primeiro semestre deste ano, o PL 621/16 já havia sido derrotado na Câmara, na época sob a gestão municipal de João Doria, por conta da pressão dos trabalhadores, que fizeram a maior greve da história da categoria. 

Desta vez, o sucessor Covas tenta empurrar o PL durante o recesso do final de ano na expectativa de não haver manifestações. Mas não tem dado certo: a próxima manifestação marcada será no dia 21 de dezembro, às 14h, em frente à Câmara, no Viaduto Jacareí, 100, no centro de São Paulo. 

Mas como a pressão também deve ser feita nas redes sociais, a CUT-SP disponibiliza cards virtuais, também conhecidos como memes, com os contatos de gabinete de cada vereador para que os trabalhadores possa cobrá-los a votarem contra o projeto. Os vereadores que já sinalizaram voto contrário terão seus cards sem os contatos. 

Em março de 2018, durante a mobilização dos funcionários públicos, a mesma ação foi adotada nas redes da CUT-SP e muitos parlamentares paulistanos entraram em contato com a entidade para se posicionar. 

Outro canal para mobilização virtual é o site Na Pressão (napressão.org.br). Por ele, é possível acompanhar a intenção de voto de que cada vereador sobre o projeto. 

Confira o álbum abaixo, baixe o card de um dos vereadores e ajude a mudá-lo de voto, sempre ao lado dos trabalhadores:

   

carregando
carregando