MENU

Estado de SP: População sai às ruas em atos pela democracia e por justiça social

CUT-SP e seus sindicatos marcaram presença nas ações

Publicado: 07 Setembro, 2021 - 18h45 | Última modificação: 07 Setembro, 2021 - 19h41

Escrito por: Vanessa Ramos e Rafael Silva - CUT-SP

CUT Campinas
notice

Além da capital paulista, cidades do interior, região metropolitana e litoral registraram atos democráticos nesta terça-feira, 7 de setembro. O Grito dos Excluídos e das Excluídas foi organizado pelas entidades que compõem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. A CUT-SP e seus sindicatos marcaram presença nas ações.

Em São José do Rio Preto, os participantes começaram a se reunir na esquina da Rua Beatriz da Conceição com a Rua Dr. José J. Gonçalves, na região central, com a participação de movimentos sindicais, sociais, políticos e religiosos. A caminhada prosseguiu pelas principais vias da cidade.

O ato em Bauru foi realizado em ponto já tradicional dos movimentos populares: em frente à Câmara Municipal, na Praça Dom Pedro, no centro. Após discursos de lideranças locais, os participantes saíram em passeata.

Ribeirão Preto registrou caminhada com início às 10h. Na cidade, a concentração começou na Praça 7 de Setembro, no centro, e seguiu pelas ruas do entorno. Além dos movimentos populares tradicionais, torcidas organizadas de times paulistas se uniram à atividade.

Já em Campinas, a população demonstrou disposição de luta mesmo com a mudança de endereço do ato ocorrida nesta semana. O Grito dos Excluídos e das Excluídas teve início no Largo do Pará com intervenções culturais e atos simbólicos.

Nas cidades de Paraguaçu Paulista, no interior, e em Diadema, no Grande ABC, foram realizadas intervenções com faixas e cartazes nas principais vias e passarelas lembrando a alta dos preços de itens básicos de sobrevivência, como feijão, carne e o gás, provocados pela política econômica fracassada do governo federal.

Em Mogi das Cruzes, no Alto Tietê, houve celebração eucarística na Catedral Sant'ana, tendo, na sequência, uma caminhada até o Largo do Rosário com a participação de militantes dos partidos progressistas, sindicatos e movimentos sociais.

Santos
Cananéia
Bauru

Cananéia, no Vale do Ribeira, o movimento indígena marcou presença com a luta contra o Marco Temporal – sobre a demarcação de territórios indígenas -, e os descasos do governo com as florestas.

Na região da Baixada Santista houve ato em São Vicente pela manhã. No período da tarde, foi a vez de Santos receber a manifestação, que saiu da Praça das Bandeiras, na Avenida Vicente de Carvalho, e seguiu pelas vias da cidade.

Também na parte da tarde, os moradores e as moradoras de Sorocaba se reuniram no Parque das Águas. Com cartazes, bandeiras e camisetas, os participantes externaram o desejo de impeachment urgente. “A data de hoje é extremamente importante, pois é o dia dos excluídos e das excluídas. Mais do que nunca temos de gritar fora Bolsonaro, que tem acabado com o povo brasileiro. São mais de 580 mil mortes, desemprego recorde, genocídio da população negra aumentando. Não dá pra continuar com ele”, disse Márcia Viana, secretária da Mulher Trabalhadora da CUT-SP.

Já em Jundiaí, o ato foi na Praça do Coreto da Matriz, onde intervenções culturais agitaram os participantes, além de uma ação simbólica que homenageou as vítimas da pandemia de covid-19 no Brasil.

Jundiaí
Mogi das Cruzes

 

Também ocorreram ações em Itatiba, São Carlos, Águas de Lindóia, Assis, entre outras regiões.

Acompanhe momentos da nossa cobertura: