• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Em memória das vítimas da Covid-19, macrossetor fará ato em São Paulo

Manifestação será no sábado (20), às 11h, na Praça Campo de Bagatelle, e contará com número limitado de participantes e uso obrigatório de máscaras e distanciamento

Publicado: 17 Junho, 2020 - 11h07 | Última modificação: 17 Junho, 2020 - 11h23

Escrito por: Redação CUT-SP*

Arte: Sindsep-SP
notice

O Macrossetor de Serviço Público da CUT São Paulo realiza no sábado (20) uma manifestação em memória dos trabalhadores vítimas da Covid-19. O ato será a partir das 11h, na Praça Campo de Bagatelle, na zona norte da capital paulista. Em respeito às recomendações sanitárias, a participação será limitada e com uso obrigatório de máscaras e distanciamento social.

Além de lembrar os profissionais mortos, em especial os que atuavam nos serviços essenciais e na linha de frente do combate ao novo coronavírus, o protesto também é um alerta pela proteção da vida e da saúde dos trabalhadores que atendem a população neste período de pandemia. O ato reforça ainda as lutas contra o racismo e em defesa da democracia e da vida.

“Queremos chamar a atenção da sociedade e cobrar as autoridades quanto ao descaso com as condições de trabalho e segurança dos trabalhadores essenciais e alertar para os riscos que a flexibilização traz para o sistema público de saúde não só na Capital, mas no Estado”, explica Sérgio Antiquera, coordenador do macrossetor e presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo (Sindsep).

Douglas Izzo, presidente da CUT São Paulo, reitera o apoio da central à manifestação diante de um cenário preocupante. “Esse ato tem todo apoio da CUT São Paulo, que acompanha a luta pela garantida de direitos e proteção dos trabalhadores dos serviços essenciais desde o início da pandemia. É um protesto, mas também uma justa homenagem àqueles que perderam a vida servindo o povo”, disse.

Izzo também destaca que o ato reforça a luta da central e dos movimentos sociais por mais recurso para a saúde pública, pela revogação da Emenda Constitucional 95 - que congelou investimentos públicos por 20 anos -, e em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Para enfrentar o coronavírus é preciso que os governos ampliem os investimentos na saúde pública, revogando a Emenda 95 e buscando novas fontes de recursos como a taxação das grandes fortunas. Além disso, é fundamental que a sociedade também faça a defesa do SUS, que hoje está ameaçado pelas políticas equivocadas de governos que insistem em transferir a gestão dos serviços para terceiros”, conclui o presidente da CUT-SP.

Serviço
Manifestação em Memória dos Trabalhadores Vítimas da Covid-19
Data: 20 de junho (sábado)
Horário: a partir das 11h
Local: Praça Campo de Bagatelle (rotatória), zona norte de São Paulo

USO OBRIGATÓRIO DE MÁSCARAS E DISTANCIAMENTO SOCIAL

*Colaborou Alexandre Trindade