• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Dia 26: Live celebra Teresa de Benguela e o Julho das Pretas

Atividade promovida pela CUT-SP e Conen terá transmissão pelas redes sociais

Publicado: 21 Julho, 2021 - 12h26 | Última modificação: 22 Julho, 2021 - 12h26

Escrito por: Redação CUT São Paulo

Arte: Maria Dias/CUT-SP
notice

Na próxima segunda-feira, 26 de julho, a Secretaria de Combate ao Racismo da CUT-SP e a Conen (Coordenação Nacional de Entidades Negras) realizam uma live para celebrar Tereza de Benguela e todas as mulheres negras que lutam e resistem contra o racismo, preconceito, exclusão e toda forma de discriminação.

A iniciativa, chamada Julho das Pretas, terá início às 18h, com transmissão pela página do Facebook da CUT-SP.

A programação do evento será dividida em quatro mesas de debate (confira a programação abaixo), com temas como “A organização das mulheres negras pós-golpe de 2016”, “O cenário para as mulheres negras”, “A organização das mulheres negras no movimento sindical” e “O papel das mulheres nas organizações”. Matilde Ribeiro, ex-ministra da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, será uma das participantes da atividade.

A mediação de todo encontro será feita por Rosana Aparecida da Silva, secretária de Combate ao Racismo da CUT-SP, e por Sandra Mariano, da Conen.

Sobre Tereza de Benguela

A heroína Tereza de Benguela, ou “Rainha Tereza”, é um ícone da resistência negra no Brasil Colonial. Nascida no século XVIII, ela chefiou o Quilombo do Piolho ou Quariterê, nos arredores de Vila Bela da Santíssima Trindade, no Mato Grosso.

Comandada por Tereza de Benguela, a comunidade cresceu militar e economicamente, resistindo por quase duas décadas, o que incomodava o governo escravista. Após ataques das autoridades ao local, Benguela foi presa e se suicidou após se recusar a viver sob o regime de escravidão.

Serviço
Live Julho das Pretas da CUT-SP e Conen
Segunda, 26 de julho, às 18h
Transmissão: Facebook da CUT-SP 

Programação

18h - Abertura

Moderação: Rosana Aparecida – Secretária de Combate ao Racismo da CUT-SP e Sandra Mariano – CONEN

Mesa 1

  • Exposição: A organização das mulheres negras pós-golpe de 2016 - Matilde Ribeiro ex-ministra da SEPPIR- Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial

Apresentação Cultural

Mesa 2

Exposições - Tema: O cenário para as mulheres negras

  • Na luta antirracista- Eleonora Menicucci–ex Ministra de Políticas das Mulheres e Profa. da UNIFESP
  • No Brasil, América Latina e Caribe, e nos EUA- Junéia Batista – Secretária da Mulher Trabalhadora da CUT Brasil
  • No Parlamento - Juliana Cardoso - vereadora na capital e Janete Pietá - vereadora em Guarulhos
  • Nos partidos políticos - Bete Silverio – SMMPT - Secretaria Municipal de Mulheres do PT-SP/Capital
  • No movimento sindical - Anatalina Lourenço – Secretária Nacional de Combate ao Racismo da CUT Brasil 

Debate – 10 inscrições direcionada as convidadas

Considerações finais das convidadas

Mesa 3

Tema: A organização das mulheres negras no Movimento Sindical.

  • Cleonice Ribeiro - Presidenta do Sindsaúde
  • Nice Lopes - Presidenta da FETAM, Nice
  • Vívia Martins – Secretária-Geral dos Municipais de SBC -
  • Solange Ribeiro – secretária de finanças do Sindsep –
  • Rosa Marina – Secretária de Combate ao Racismo da Afuse
  • Silvia Maria Santos - Presidenta do Sindicato das Domésticas de São Paulo

Mesa 4

Tema: O papel das Mulheres nas organizações 

  • Marcia Viana – Secretaria da Mulher Trabalhadora da CUT-SP
  • Debora Pereira – SEMPT - Secretaria Estadual de Mulheres do Partido dos Trabalhadores de SP
  • Marilândia Frazão – SMCRPT - Secretaria Municipal de Combate ao Racismo do PT-SP/Capital 

Apresentação Cultural

Encerramento