• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Deputados estaduais lançam frente em defesa das pessoas em situação de rua em SP

Parlamentares chamam a atenção para a necessidade de implementação de políticas públicas voltadas para este segmento da população

Publicado: 08 Agosto, 2019 - 11h34 | Última modificação: 08 Agosto, 2019 - 11h39

Escrito por: Rede Brasil Atual

TVT/REPRODUÇÃO
notice

Deputados estaduais de São Paulo lançaram, nesta quarta-feira (7), uma frente em defesa das pessoas em situação de rua com objetivo de pressionar o Estado a implementar políticas públicas voltadas a essa população. De acordo com a deputada estadual Erica Malunguinho (Psol), que está à frente da organização, a ideia é que os parlamentares, ao lado dos movimentos sociais, formulem políticas de enfrentamento à violência e de garantia de direitos dessa população, na contramão da invisibilidade perante o poder público. “Existe sim uma falta de vontade e de humanidade para lidar com essa questão que é um exemplo da tragédia social brasileira”, afirma Erica ao repórter Jô Miyagui, do Seu Jornal, da TVT.

A ação abre o calendário de atividades previsto para marcar o dia 19 de agosto, quando se celebra o Dia Nacional de Luta das Pessoas em Situação de Rua. Pela manhã, movimentos e moradores saíram em passeata do centro da capital paulista até a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), na zona sul da cidade, onde exigiram direitos e reconhecimento da dignidade da pessoa humana. Moradora em situação de rua há 20 anos, Sueli Aparecida destaca que essa população não convive apenas com a falta de moradia, mas também “com a fome, a violência, os maus tratos, a discriminação, o preconceito, os assassinatos. Nós somos visíveis, mas eles fingem que somos invisíveis”, contesta Sueli.

Durante o lançamento da frente, a coordenadora Bia, do Movimento da População em Situação de Rua de Osasco, na região metropolitana de São Paulo, alerta que as pessoas LGBTs, que vivem nessas condições são ainda mais vulneráveis diante da violência. “Além da discriminação, nós sofremos mais pelo abuso sexual que a gente tem dentro dos equipamentos e nas ruas”, explica Bia.

Com a frente na Assembleia, a deputada estadual Beth Sahão (PT) espera agora reverter as mudanças feitas na Política Estadual de Atenção à População em Situação de Rua, sancionada em 2017 pelo ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB). Aprovada com vetos, a deputada diz que a lei foi “mutilada” e é insuficiente para dar conta da demanda por abrigos ou por mais investimentos na área. “O governo não quer gastar, quer deixar eles a Deus dará, embaixo dos viadutos, das pontes, nas ruas e nas praças, sem qualquer cuidado, e isso nós não vamos permitir”, afirma.