MENU

CUT-SP repudia ofensas de deputado bolsonarista a líderes católicos

Em nota, dirigentes da Central também registram apoio e solidariedade ao Papa Francisco e reafirmam compromisso na luta contra a intolerância religiosa

Publicado: 18 Outubro, 2021 - 11h04 | Última modificação: 18 Outubro, 2021 - 12h29

Escrito por: CUT São Paulo

CUT São Paulo
notice

A direção da CUT São Paulo manifesta seu repudio ao discurso carregada de ódio e extremamente ofensivo proferido pelo deputado estadual bolsonarista Frederico d’Ávila (PSL-SP) na tribuna da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) no último dia 14 atacando duramente líderes religiosos da Igreja Católica: o Papa Francisco; o Arcebispo de Aparecida Dom Orlando Brandes e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). 

A fala do parlamentar foi muito além de uma crítica, pois sem controle, em tom agressivo, buscou defender o presidente da República numa tentativa de refutar o contundente sermão de Dom Orlando que, na Missa das 9h de 12 de outubro, sem citar quaisquer nomes, disse que o Brasil “para ser pátria amada, não pode ser armada”. 

Desde então o arcebispo tem sido alvo de grupos fascistas formado por defensores de Jair Bolsonaro, principalmente nas redes sociais, mas o deputado se prestou ao papel de ocupar a tribuna para também atacar o Papa e a CNBB, que completou 69 anos no dia 14, com palavras que expõe algo que sempre condenamos: a intolerância religiosa. 

Por isso, a CUT-SP soma-se a demais entidades para também solicitar ao Presidente da Alesp e a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Casa pata que, seguindo o disposto no Regimento Interno do Legislativo Paulista e na legislação vigente, realizem o procedimento necessário para uma justa punição do deputado Frederico d’Ávila com pedido de retratação e reparação pelas ofensas proferidas.

Ademais, a direção da CUT-SP registra seu apoio e solidariedade ao Santo Padre, à CNBB, ao Arcebispo de Aparecida, a todo clero e à comunidade católica, reafirmando nosso respeito e compromisso na luta contra a intolerância religiosa e, quaisquer formas de discriminação ou preconceito. 

Menos ódio, mais amor! 

São Paulo 18 de outubro de 2021.  

Direção da CUT São Paulo