• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

CUT-SP lamenta a morte do metalúrgico e sindicalista Renato Mamão

Ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba morreu no domingo, 6, vítima da covid-19

Publicado: 07 Junho, 2021 - 12h01 | Última modificação: 07 Junho, 2021 - 21h03

Escrito por: CUT São Paulo

Reprodução
notice

A Central Única dos Trabalhadores de São Paulo recebeu com muita tristeza a notícia da morte do companheiro Renato Marcondes de Oliveira, o “Renato Mamão”, aos 64 anos, ocorrida no última domingo, 6 de junho, vítima de covid-19.

Metalúrgico com passagem pelas empresas Alcan e Tenaris Confab Tubos, Renato Mamão iniciou sua luta pelos direitos da classe trabalhadora em 1987, quando participou da fundação do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba e Região, entidade que viria a presidir entre 2012 e 2016. Sua gestão foi responsável pela implantação do novo modelo de Comitê Sindical por empresa.

Mesmo aposentado, Mamão seguia na luta por direitos, ajudando a criar e a coordenar o Comitê Sindical dos Aposentados, além de sempre participar das principais ações convocadas pelo sindicato, que considerava como a sua segunda casa.

Seu histórico de vida seguirá inspirando companheiros e companheiras, sobretudo em tempos tão sombrios de pandemia e retrocessos, que tiram a vida de milhares de pessoas – muitas das quais poderiam ter sido evitadas.

O líder sindical deixa esposa, dois filhos e dois netos, a quem externamos nosso profundo pesar e a nossa solidariedade.