• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

CUT-SP apoia a Chapa 1 nas eleições do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

Entidade realiza o segundo turno eleitoral nos dias 24 e 25 de junho em plataforma digital; Processo havia sido interrompido por conta da pandemia da Covid-19

Publicado: 22 Junho, 2020 - 11h48 | Última modificação: 22 Junho, 2020 - 12h13

Escrito por: Rafael Silva - CUT São Paulo

Arte: Maria Dias/CUT-SP
notice

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SMABC) retoma nos dias 24 e 25 de junho o processo eleitoral da entidade que elegerá os integrantes do Conselho Executivo e do Conselho Fiscal da gestão 2020/2023. A etapa será totalmente virtual, garantindo a segurança dos metalúrgicos e permitindo ampla participação.

Para participar, o sócio do Sindicato deve registrar sua escolha no site smabc.votebem.com.br, que estará disponível nas datas determinadas.

Processos eleitorais online têm sido adotados por muitas entidades sindicais por conta da pandemia do novo coronavírus, que necessitou a adoção do isolamento social. A escolha preserva a saúde dos participantes e é feita respeitando todos os princípios democráticos.

O primeiro turno do SMABC elegeu os Comitês Sindicais de Empresa e do Comitê Sindical de Aposentados e foi realizado nos dias 17 e 18 de março, mas a Comissão Eleitoral decidiu pela paralisação do processo quando começaram os casos da Covid-19 no Brasil.

“Estamos retomando o processo eleitoral com a votação do segundo turno, realizada por meio de uma plataforma digital. A pandemia nos obriga a ser criativos e descobrir novos meios de colher a decisão dos trabalhadores, garantindo a ampla participação sem oferecer risco”, diz o presidente do Sindicato Wagner Santana, o Wagnão, que é candidato a reeleição.

A Central Única dos Trabalhadores de São Paulo apoia a Chapa 1, que concorre sozinha neste pleito.

A escolha dos dirigentes dos Metalúrgicos do ABC é realizada a cada três anos e acontece em dois turnos. No primeiro, os trabalhadores vão às urnas, nas fábricas onde trabalham, e escolhem por voto direto os representantes dos Comitês Sindicais de Empresa (CSEs) e do Comitê Sindical dos Aposentados (CSA). Esse número de representantes por fábrica depende da quantidade de trabalhadores sindicalizados. Neste ano, um total de 193 foram eleitos.

Já o segundo turno elegerá 33 pessoas – com o presidente definido e os demais que irão compor a direção executiva e o conselho fiscal da entidade.

“Neste momento tão importante e tão delicado em que vivemos, em meio a uma crise sanitária global e uma crise econômica e política sem precedentes no país, é ainda mais importante a participação dos trabalhadores, dando respaldo e força à sua representação e ao movimento sindical como um todo. Os desafios da classe trabalhadora são imensos”, continua Wagnão.

Secretário-geral da CUT-SP, o metalúrgico João Cayres reforça essa linha de Wagner, lembrando que a falta de liderança do governo de Jair Bolsonaro para lidar com a crise sanitária trará sérias consequências econômicas, junto com a narrativa empresarial de que será preciso retirar mais direitos e cortar orçamentos de políticas essenciais à população. “Mais do que nunca a classe trabalhadora precisa fortalecer seus instrumentos de luta, como é o sindicato, para dar uma resposta à altura sobre os ataques que certamente virão”.