MENU

CUT São Paulo repudia agressão à sindicalistas na Baixada Santista

No sábado (30), Solange Santana, do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, e Carlos Amado, da Apeoesp, participavam da convocação do 1º de maio quando foram agredidos

Publicado: 02 Maio, 2022 - 18h08 | Última modificação: 02 Maio, 2022 - 18h24

Escrito por: CUT São Paulo

Divulgação
notice

A Direção da CUT São Paulo recebeu com indignação a notícia da agressão a sindicalistas na cidade de Santos, no sábado (30/04), enquanto participavam de uma atividade de mobilização para o 1º de maio da Centrais Sindicais em São Paulo, organizada pela subsede da CUT-SP na Baixada Santista.

Reforçamos que somos contra atos violentos e sempre buscamos o debate, mesmo com os divergentes, da melhor forma possível. O fato toma uma relevância ainda maior por se tratar da agressão de um homem a uma mulher, tendo em vista que nossa Central, por meio da Secretaria da Mulher Trabalhadora, promove ações voltadas ao combate à violência contra a mulher.

Desse modo, repudiamos veementemente a atitude de um “provável cidadão de bem” que atacou a companheira Solange Santana, secretária do Interior do Sindicato do Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo (SJSP) e o companheiro Carlos Amado, da coordenação da subsede da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo).

Até mesmo populares que presenciaram as cenas se revoltaram. O agressor foi detido e conduzido à Delegacia de Polícia onde foi registrada a ocorrência. Esperamos, a partir do Inquérito Policial, que as autoridades competentes apliquem as punições cabíveis ao responsável por esse ato covarde que expõe como o discurso de ódio disseminado nas redes sociais e por pessoas que estão no poder é capaz de provocar atitudes como essa.

Toda a nossa solidariedade e apoio à companheira Solange Santana que, após o registro da ocorrência, recebeu atendimento médico e se encontra bem. Assim também ao companheiro Carlos Amado que também foi agredido, ao companheiro Carlos Riesco, coordenador da nossa subsede na Baixada Santista, e a todas companheiras e companheiros que participaram dessa atividade no sábado e sofreram com as agressões verbais desse sujeito.

Colocamos o Jurídico da nossa Central à disposição das companheiras e dos companheiros para contribuir com o que for necessário. Acreditamos que o amor ao próximo e a solidariedade vencerão o ódio!

Machistas, fascistas, não passarão!

Viva a luta da classe trabalhadora por emprego, direitos, democracia e vida!

São Paulo, 2 de maio de 2022
Direção da CUT São Paulo