• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

CUT e centrais preparam 1º de Maio em 2020 com ato unificado em São Paulo

Em reunião realizada na manhã de quinta (6), no Dieese, dirigentes definiram que ato em comemoração ao Dia dos Trabalhadores e das Trabalhadoras será na Praça da República

Publicado: 07 Fevereiro, 2020 - 18h39 | Última modificação: 07 Fevereiro, 2020 - 18h45

Escrito por: Redação - CUT São Paulo

Roberto Parizotti/CUT
notice

Representantes das centrais sindicais discutiram na quinta-feira (6), no Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em São Paulo, a organização do 1º de Maio unificado em 2020.

O ato das centrais sindicais e movimentos populares e as apresentações culturais ocorrerão na Praça da República, no centro da capital paulista, sugestão apresentada pelo presidente da CUT-SP, Douglas Izzo, aprovada pelos representantes das centrais.

“A avaliação que temos é que a Praça da República é o melhor local para o ato deste 1º de Maio por ser um local de fácil acesso para quem vem de todas as regiões da capital e de cidades da grande São Paulo”, justificou Izzo.

Os dirigentes sindicais ressaltaram a importância de realizar o ato unificado, a exemplo do ano passado. “Neste momento de ataques aos direitos dos trabalhadores e da sociedade brasileira é fundamental que se mantenha a unidade das centrais para organizarmos um grande ato unificado no Dia dos Trabalhadores e das Trabalhadoras”, defendeu o presidente da CUT-SP.

Os representantes das centrais iniciaram também as discussões sobre os temas que devem ser abordados no ato do Dia Internacional dos Trabalhadores deste ano, entre eles estão o emprego, o salário, os direitos, a soberania nacional e a liberdade democrática.

Para Izzo, estes temas dialogam com os trabalhadores e com a sociedade. “São tantos os problemas que assolam a população brasileira e a classe trabalhadora, mas o maior deles é o desemprego, além, é claro, dos ataques aos direitos, à soberania nacional e o desmonte dos serviços públicos”, defendeu.

Participaram da reunião representantes da CUT, Força Sindical, CTB, CGTB, NCST, Intersindical Central, CSP Conlutas e Intersindical Instrumento de Luta. A próxima reunião para organização do ato ficou agendada para o dia 3 de março na capital paulista.

Colaborou: Alexandre Trindade