• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

CNTTL destaca luta dos caminhoneiros autônomos na reunião do Macrossetor Serviços da CUT

Evento terá plano de estratégia em conjunto com setores de comércio, serviço e logística

Publicado: 04 Julho, 2018 - 11h30

Escrito por: Viviane Barbosa - CNTTL/CUT

Divulgação
notice

Com a finalidade de fortalecer as lutas unitárias, a CUT iniciou na terça-feira (3), em São Paulo, o Seminário “Macrossetor Serviços”, em parceria com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômico) e com a Fundação Perseu Abrammo.

O evento, realizado na sede do Dieese, termina nesta quarta-feira (4) e debaterá um plano de estratégia e ação em conjunto com os representantes de Confederações, Federações e sindicatos de trabalhadores que atuam nos setores do comércio, serviço e logística.

Transporte
A diretora da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte e Logística (CNTTL), Kelly Cristina Faria, acompanhou a atividade na terça-feira, representando o presidente Paulo João Estausia, Paulinho, que está em Brasília acompanhando os desdobramentos da audiência pública organizada pela Comissão Mista da Câmara dos Deputados, que examina a Medida Provisória 832/2018, que estabeleceu piso mínimo do frete no país.

A sindicalista Kelly falou sobre a atuação da CNTTL na luta  pelo Piso mínimo do Frete para os caminhoneiros autônomos, uma das reivindicações atendidas pelo governo Temer para colocar fim à greve dos caminhoneiros, que durou 11 dias no país. 

A necessidade dessa legislação já estava sendo debatida no Congresso, por meio do projeto de Lei 528/2015, o qual já foi aprovado na Câmara Federal e agora tramita no Senado Federal por meio do PLC121/2017.

“A MP está em vigor desde o dia 30 de maio e determina preços mínimos dos fretes por quilômetro rodado, levando em conta o tipo de carga (geral, a granel, frigorificada, perigosa e neogranel) e, prioritariamente, os custos do óleo diesel e dos pedágios. Porém, o Congresso em sua grande maioria, ligada a grupos empresariais, como o do agronegócio, está fazendo manobras para não votar essa MP”, explicou a dirigente.

Kelly explicou que esse tabelamento tem sido criticado pelo setores produtivos, como o agronegócio, que impetrou mais de 50 ações contra a MP no Supremo Tribunal Federal (STF). Os caminhoneiros autônomos reclamam que, na prática, a MP 832 vem sendo desrespeitada.

“O presidente Paulinho está acompanhando em Brasília todas as discussões no Congresso sobre a MP e tem prestando apoio aos caminhoneiros autônomos, que exigem que Temer cumpra sua parte no acordo. Caso o Congresso retroceda nesse debate uma nova paralisação e bem mais organizada poderá acontecer nos próximos dias”, alerta.

Também participou do Seminário “Macrossetor Serviços” o diretor do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e da Confederação, Marcílio Jesus Garcia.

Pautas unificadas

Desde 2013, a CNTTL tem participado dos eventos do Macrossetor Serviços da CUT e destaca que é fundamental essa iniciativa para fortalecer e discutir uma pauta e lutas comuns entre os setores, principalmente, neste momento no qual os direitos da classe trabalhadora estão sendo atacados e destruídos por um governo ilegítimo, que está a serviço do agronegócio e do empresariado brasileiro. 

Programação:
3 de julho de 2018, terça-feira
9h às 9h30 – Abertura
9h30 às 13h – “O Brasil que o povo quer” - Fundação Perseu Abramo
13h – Almoço
14h às 16h – Panorama do Macrossetor (Coordenação do Macrossetor e Dieese)
16h às 18h – A construção do Macrossetor

4 de julho: quarta-feira
9h às 11h - Trabalho em grupos:
1 - Estratégia para o Macrossetor;
2 - Tecnologia, emprego no setor de serviços;
3 - Macrossetor e a conjuntura;
4 - Organização e estruturação
12h às 13h – Apresentação dos relatórios dos grupos
13h – Almoço
14h – Plenária para encaminhamentos:
- Coordenação;
- Coordenações regionais;
- Plano de ação.

carregando