• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Chapa da CUT/CTB vence eleição dos Metroviários de SP

Processo eleitoral teve a participação de 80% dos sindicalizados; nova gestão irá comandar a entidade no período 2019/2022

Publicado: 16 Setembro, 2019 - 17h55 | Última modificação: 16 Setembro, 2019 - 18h03

Escrito por: Rafael Silva - CUT São Paulo

Reprodução Facebook do Sindicato dos Metroviários
notice

Com a participação de mais de 4.500 trabalhadores, a eleição do Sindicato dos Metroviários de São Paulo definiu na última sexta-feira, 13, a nova direção da entidade para os próximos três anos. A chapa 1, composta por dirigentes da CUT, CTB, do PSB e de lideranças independentes, foi a grande vencedora do pleito, com 45,6% dos votos válidos.

Com o resultado (1.887 votos), a Chapa 1 terá direito de indicar a metade (10 de 20) da composição da direção executiva 2019/2022 do Sindicato, um dos maiores de São Paulo.

“O eixo da campanha da Chapa 1 foi bastante contundente ao ir pra base propor um novo modelo de gestão da entidade, que atualmente tem um formato de direção que possui um colegiado com três coordenadores, sendo um de cada chapa vencedora. Isso, além de dificultar a ação sindical, pega muito na base da categoria, que quer um sindicato com mais agilidade para dar as respostas necessárias que a conjuntura e os ataques do governo Doria implementam”, afirma Hélcio Aparecido, secretário de Organização da CUT-SP.

A proposta da nova direção é convocar um plebiscito na base para debater esse formato.

“Foi um resultado muito bom, pois politicamente a categoria entendeu que a nossa chapa é a que possui um acúmulo da luta da categoria e ainda possui novos quadros na composição, dialogando com todos. E isso nos fortalece para a luta contra as privatizações, as terceirizações e demais negociações de nossa categoria, pois não iremos permitir a perda de nenhum direito”, diz Marcos Freire, atual dirigente e que compõe a chapa vencedora.

Ainda nesta semana, uma reunião irá definir o percentual de participação de cada entidade na nova direção.

Categoria presente

A Chapa 2, ligada à CSP-Conlutas, obteve 1.003 votos (24,30% dos votos válidos), enquanto que a Chapa 3, do PSOL, teve 944 (22,87%). De acordo com o estatuto, por terem conquistado mais de 10% dos votos válidos, as duas chapas também terão participação na executiva, com número de dirigentes proporcional ao desempenho de cada uma delas na eleição. Já a Chapa 4, do Movimento Nossa Classe Metroviários, teve 7,10% dos votos válidos (293 eleitores) e não estará na executiva. 

O processo eleitoral teve início no domingo, 8, e seguiu até sexta (13) com a participação de 80% dos sindicalizados, que tiveram 134 urnas disponíveis durante os seis dias. A apuração durou cerca de quatro horas.