MENU

Chapa 1 vence eleições dos papeleiros de Mogi das Cruzes com 95% dos votos

Categoria participou em peso do processo eleitoral

Publicado: 05 Maio, 2022 - 12h03 | Última modificação: 05 Maio, 2022 - 13h00

Escrito por: Rafael Silva - CUT São Paulo

Divulgação
notice

Realizada nos dias 28 e 29 de abril, as eleições para a direção do Sindicato dos Papeleiros de Mogi das Cruzes e Região tiveram um dos resultados mais expressivos da história da entidade. A Chapa 1, liderada pelo atual presidente, Marcio Bob Cruz, conquistou 95% dos votos válidos.

O processo eleitoral mobilizou cerca de 60 pessoas, entre mesários, fiscais e comissão, representantes de 14 sindicatos de papeleiras e papeleiros de outras bases e sindicatos de outros ramos, como bancários, construção civil, servidores e rodoviários. Em todas as urnas, o quórum de participação foi superior a 70%.

DivulgaçãoDivulgação
Marcio Bob Cruz estará à frente do sindicato na próxima gestão

Durante a campanha, a Chapa 1 defendeu uma plataforma voltada para uma aproximação e interação ainda maiores da entidade com a base, destacando em seus compromissos questões como comunicação, ampliação de serviços, luta em defesa dos direitos já conquistados, renda, emprego, equidade de gênero, fortalecimento das redes de trabalhadores e outras formas de organização.

Bob avalia que a ampla participação nas urnas e a aprovação da Chapa 1 representa, de um lado, o reconhecimento do trabalho que vem sendo realizado pelo Sindicato. Além disso, a confiança expressada pela categoria e por entidades como CUT, CNQ (Confederação Nacional do Ramo Químico da CUT), IndustriALL Global Union, Federações e sindicatos do setor papeleiro e do ramo químico, aumenta o desafio da direção eleita.

Para o dirigente, a manutenção dos direitos, benefícios e do poder de compra da categoria continuarão sendo prioridades, ao mesmo tempo em que o combate às práticas antissindicais dos patrões e do governo federal se coloca como uma ação imperativa. “A luta em defesa da democracia, dos direitos humanos e trabalhistas e do emprego, contra a carestia e por melhores condições de vida da população, passa pelas eleições de 2022. Neste sentido, um dos desafios colocados a esta nova gestão será estabelecer o diálogo franco e direto com nossa categoria sobre o que o atual governo representa. Mais uma vez, a luta de classes é a única saída para os trabalhadores e trabalhadoras”, afirma Bob, que também é secretário Setorial de Papel, Papelão e Celulose da CNQ-CUT.

Renato Zulatto, secretário de Administração e Finanças da CUT-SP e trabalhador do ramo químico, esteve presente durante a apuração das urnas e celebrou o resultado. “O resultado apresenta um recado importante dos trabalhadores: o de que diante de tantos ataques e ameaças aos direitos vindos dos setores patronais e dos governos, o movimento sindical segue sendo o principal aliado nesse enfrentamento”.