• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Câmara de Mococa rejeita título de “Cidadão Mocoquense” para Doria

O autor da proposta, lamentou: “O governador está sem moral”

Publicado: 09 Outubro, 2019 - 11h11 | Última modificação: 09 Outubro, 2019 - 11h19

Escrito por: Redação - Revista Fórum*

Reprodução
notice

 

Projeto do vereador Elias de Sisto (PR) para dar o título de “Cidadão Mocoquense” ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi rejeitada na última segunda-feira (7), na Câmara Municipal de Mococa.

Foram 7 votos favoráveis, mas a aprovação dependia de 10 votos positivos.

Sisto, o autor da proposta, lamentou: “O governador está sem moral”. O vereador Eduardo Barison (PV) ainda reiterou: “O que ele deu para Mococa até agora? Nem na eleição para pedir voto, ele veio”.
Inelegibilidade

O julgamento da ação que pede perda de mandato e inelegibilidade por oito anos do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e do vice-governador, Rodrigo Garcia (DEM), foi adiado após desembargadores que julgam o caso pedirem vista durante sessão do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), nesta terça-feira (8).

A Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), apresentada pela Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo (PRE-SP), acusa Doria de abuso de poder político por uso indevido de publicidade institucional durante sua gestão na Prefeitura de São Paulo, entre janeiro de 2017 e abril de 2018, para promover sua candidatura a governador nas eleições de 2018.

Antes do pedido de vista dos desembargadores, o relator da ação e vice-presidente do TRE-SP, Waldir Sebastião de Nuevo Campos, havia votado pela absolvição de Doria e Garcia, por considerar improcedente a acusação de que os gastos com publicidade foram usados para a promoção pessoal do então prefeito. “Os atos não remetem à promoção pessoal de João Doria, mas a atos de gestão”, afirmou Campos.

*Com informações da coluna de Mônica Bergamo e do Estadão