• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Caixa lucra R$ 3,05 bilhões no primeiro trimestre de 2020

Em doze meses, banco fechou 713 postos de trabalho (apesar do acréscimo de 47 postos na comparação com o último trimestre de 2019), três agências, 29 postos de atendimento, 44 lotéricas e 75 correspondentes

Publicado: 21 Maio, 2020 - 18h00 | Última modificação: 21 Maio, 2020 - 18h03

Escrito por: Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região

Seeb-SP
notice

O lucro líquido contábil da Caixa no primeiro trimestre deste ano foi de R$ 3,05 bilhões, uma queda de 22% em relação ao mesmo período de 2019 e de 38% se comparado ao quarto trimestre do ano passado.

Em doze meses, o banco fechou 713 postos de trabalho (apesar do acréscimo de 47 postos na comparação com o último trimestre de 2019), três agências, 29 postos de atendimento (PAs), 44 casas lotéricas e 75 correspondentes Caixa Aqui. Em contrapartida, registrou o incremento de 4,1 milhões de novos clientes no mesmo período. Em março deste ano, a Caixa contava com 84.113 empregados.

As receitas de prestação de serviços e com tarifas bancárias caíram 11,4% em doze meses, totalizando R$ 5,8 bilhões no trimestre. Embora em menor proporção, as despesas de pessoal, considerando-se o pagamento da PLR, também diminuíram – 5% em doze meses, totalizando 5,6 bilhões. Assim, no 1º trimestre de 2020, a cobertura das despesas de pessoal pelas receitas secundárias do banco foi de 103,5%.

“Em meio à crise, apesar de um crescimento no lucro aquém do esperado, os números da Caixa, construídos pelo esforço e competência de seus empregados, dão a dimensão da importância do banco para o desenvolvimento econômico e social do país. Apesar das recentes contratações para o cumprimento da Lei de Cotas, uma exigência histórica do movimento sindical, houve, no geral, fechamento de centenas de postos de trabalho, o que torna o número de empregados insuficiente para atender uma demanda cada vez maior. A pandemia do coronavírus mostrou que é essencial a contratação de mais trabalhadores para a Caixa, uma cobrança também antiga do Sindicato, para que não haja sobrecarga, aumento da jornada de trabalho e necessidade de abertura das agências aos sábados, por exemplo”, ressalta o dirigente Dionísio Reis, diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e coordenador da Comissão Executiva de Empregados (CEE/Caixa).

De acordo com relatório da Caixa, a queda do lucro no primeiro trimestre do ano se deu, principalmente, em razão da redução da margem financeira em aproximadamente 13,9%, compensado pelas reduções de 1,3% com despesa de pessoal e 2,4% com outras despesas administrativas.

A queda da margem financeira foi influenciada pelas reduções de 7,9% em receitas das operações de crédito e de 32,9% em resultado de TVM e derivativos, compensadas pela redução de 12,1% em despesas de captação. A rentabilidade foi de 14,4%, com alta de dois pontos percentuais em doze meses.

Outros números

A carteira de crédito amplo da Caixa apresentou ligeira expansão (0,9%) na comparação trimestral, e crescimento de 2%, em doze meses, totalizando R$ 699,6 bilhões. Já a carteira comercial Pessoa Física cresceu 1,8% em doze meses, totalizando R$ 82,6 bilhões. A carteira comercial Pessoa Jurídica apresentou queda de 17,1% no período, somando R$ 38,7 bilhões.

Com saldo de R$ 470,4 bilhões no trimestre e participação de 67,2% na composição do crédito total, o crédito imobiliário cresceu 1,1%, no trimestre, e 5,2%, em doze meses. Já a carteira de infraestrutura teve ligeira alta de 0,8% na comparação trimestral, e 1,2%, em doze meses, totalizando R$ 84,7 bilhões. A taxa de inadimplência para atrasos superiores a 90 dias foi de 3,14%, com variação de 0,67  ponto percentual.