• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Audiência em Mirante (SP) discute uso de agrotóxicos

Buscando solucionar o problema, a Câmara de Vereadores busca aprovar um Projeto de Lei (PL) para regulamentar a pulverização aérea no município

Publicado: 12 Abril, 2019 - 18h44 | Última modificação: 12 Abril, 2019 - 18h47

Escrito por: Sindicato dos Servidores Municipais de Presidente Prudente e Região

Divulgação
notice

Na noite de segunda-feira (8) foi realizada, na sede do Rotary Clube de Mirante do Paranapanema, uma audiência pública para debater sobre os prejuízos causados pelo uso de agrotóxicos (no caso, pulverização aérea feita na plantação de cana da usina de álcool) na população e nos animais. O tema foi O Veneno está na Mesa.

De acordo com o site www.contraosagrotoxicos.com.br, que divulga a campanha permanente Agrotóxico Mata, os ingredientes presentes nos agrotóxicos podem causar esterilidade masculina, formação de cataratas, reações alérgicas, distúrbios neurológicos, respiratórios, cardíacos, pulmonares, no sistema imunológico e no sistema endócrino, ou seja, na produção de hormônios, desenvolvimento de câncer, dentre outros agravos à saúde. A iniciativa do site e da campanha surgiu da união de mais de 100 grupos e entidades, entre eles movimentos sociais, sindicatos, associações legislativas e centrais sindicais, incluindo a CUT (Central Única dos Trabalhadores).

Buscando solucionar o problema, a Câmara de Vereadores busca aprovar um Projeto de Lei (PL) para regulamentar a pulverização aérea no município. Na letra do PL (que foi vetado pelo prefeito) está proibida a pulverização aérea de agrotóxicos em distância menor que 3.000 metros de residências ou outras culturas e propriedades.

No evento, estiveram presentes as diretoras do SINTRAPP (Sindicato dos Servidores Municipais de Presidente Prudente e Região) Alice Capatto e Ana Flores. A audiência também contou com a participação de moradores do município, de produtores rurais que são prejudicados pela aplicação de agrotóxicos (em especial os criadores de bicho-da-seda), pelos poderes executivo e legislativo do município e também por representantes da usina.

carregando
carregando