MENU

Ato pelo Dia da Luta Operária pedirá revogação da reforma trabalhista

Evento também irá homenagear quatro militantes sindicais

Publicado: 01 Julho, 2022 - 17h42 | Última modificação: 01 Julho, 2022 - 17h50

Escrito por: Redação

Divulgação
notice

Com o mote “Em Defesa da Democracia e Contra o Golpismo; Pela Revogação da Reforma Trabalhista”, o Dia da Luta Operária (9 de Julho) de 2022 homenageará quatro militantes sindicais (dois in memoriam) pelo histórico de vida em defesa do movimento operário brasileiro.

A iniciativa é do mandato do vereador Antonio Donato (PT) em parceria com as centrais sindicais Intersindical Central da Classe Trabalhadora, CSP-Conlutas, CSB, CTB, CUT, UGT, Força Sindical, NCST, Pública e Intersindical Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora.

Também participam da homenagem o Centro de Memória Sindical, o Cedem-Unesp, Instituto Astrogildo Pereira, IIEP, Memorial da Resistência e Oboré.

Serão homenageados no dia 9 de Julho Clara Ant, arquiteta, ex-vice-presidente da Federação Nacional dos Arquitetos e ex-dirigente da (CUT) Central Única dos Trabalhadores; João Guilherme Vargas Netto, jornalista, consultor sindical e membro do DIAP (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar); José Calixto Ramos (in memoriam), metalúrgico, ex-presidente da NCST (Nova Central Sindical dos Trabalhadores) e da CNTI (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria); e Wagner Gomes (in memoriam), metroviário, ex-presidente do Sindicato dos Metroviários de São Paulo e ex-presidente da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil).

Clara Ant e João Guilherme Vargas Netto receberão o Troféu José Martinez, concebido pelo artista plástico Enio Squeff para o Dia da Luta Operária. O troféu presta homenagem ao sapateiro anarco-sindicalista José Martinez. Há 105 anos, no dia 9 de julho de 1917, ele foi baleado e morto por soldados da antiga Força Pública, que reprimiam a greve geral que tomou conta de várias empresas em São Paulo. José Calixto Ramos e Wagner Gomes, através de seus familiares, receberão placas em aço escovado em agradecimento pela dedicação à luta dos trabalhadores e ao fortalecimento do movimento sindical.

O ato contará com a participação do Coletivo de Caminhantes e Corredores Lula Presidente, que vai fazer uma homenagem ao Dia da Luta Operária. Também haverá apresentações da centenária Corporação Musical Operária da Lapa (fundada em 1881) e do músico, poeta e chargista Caio Muniz, que desenvolve um trabalho de educação em direitos humanos.

O Dia da Luta Operária foi instituído pela lei municipal (nº 16.634/17) de autoria do vereador Donato, em memória da paralisação de 1917. O ato político será às 9 horas do dia 9 de julho de 2022, no antigo Moinho Matarazzo (Rua do Bucolismo, 81, Brás).

Serviço
Dia da Luta Operária – 9 de julho
Ato político e homenagem a quatro sindicalistas
Local: Rua do Bucolismo, 81, Brás, São Paulo
9 horas