MENU

Ato no Dia da Luta Operária irá homenagear ativistas da saúde dos trabalhadores

Médica Maria Maeno e sindicalista Carlos Aparício Clemente irão receber o Troféu José Martinez pelos anos de contribuição à luta pela saúde coletiva e do trabalhador

Publicado: 05 Julho, 2024 - 16h08 | Última modificação: 05 Julho, 2024 - 16h40

Escrito por: Rafael Silva - CUT São Paulo, com informações do evento

Divulgação
notice

Na próxima terça-feira, 9 de julho, o ato em celebração ao Dia da Luta Operária dará destaque aos 100 anos da revolta paulista de 1924 e os 60 anos do golpe militar de 1964. A proposta é debater os impactos políticos e econômicos que os dois eventos causaram na vida da classe trabalhadora, além de cobrar por justiça e reparação.

O ato político terá início às 9h, no Casarão do Sindicato dos Padeiros de São Paulo, na Rua Major Diogo, 285, Bela Vista, no centro de São Paulo.

Todos os anos, a atividade homenageia com o Troféu José Martinez personalidades atuantes na defesa da classe trabalhadora e no fortalecimento do movimento sindical brasileiro. Em 2024, os laureados serão Maria Maeno, médica especializada em saúde coletiva e saúde do trabalhador e pesquisadora da Fundacentro (Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho), e Carlos Aparício Clemente, dirigente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco, diretor do Espaço Cidadania, reconhecido defensor de temas ligados à saúde e segurança do trabalhador e da inclusão social.

Também será homenageada com placa de agradecimento Isabel Peres, fundadora e militante da Ação dos Cristãos para Abolição da Tortura. Já as homenagens póstumas serão dirigidas a Clodesmidt Riani, ex-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria (CNTI) que participou da greve geral de 1953 e da luta pelo abono salarial, em 1962, Valdir Vicente De Barros, preso e torturado pela ditadura militar, e ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Niterói, e Everino Almeida Filho, fundador e ex-presidente do Sindicato Nacional dos Oficiais da Marinha Mercante que participou da greve histórica dos marítimos de 1987.

O evento pelo Dia da Luta Operária é anualmente promovido por iniciativa do deputado Antônio Donato (PT) com a participação das centrais sindicais CUT, Força Sindical, UGT, CTB, CSB, NCST, CSP-Conlutas, Pública Central do Servidor, Intersindical Central da Classe Trabalhadora, e Intersindical Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora, além das entidades Centro de Memória Sindical, Instituto Astrogildo Pereira, IIEP e Oboré.

O Dia da Luta Operária foi criado por lei (nº 16.634/17) de autoria de Donato, à época vereador de São Paulo, e é comemorado no dia 9 de julho em homenagem ao sapateiro anarquista sindicalista José Martinez. Nesta data, em 1917, ele participava da greve que tomava conta de várias fábricas no Brás quando foi baleado pela polícia, que reprimia o movimento. Sua morte, dias depois, em consequência do ferimento, revoltou os operários e impulsionou a greve, que parou São Paulo e se alastrou para cidades do interior e de outros estados. Martinez é considerado um mártir da paralisação.

Serviço
Dia da Luta Operária
Ato político e homenagens
9 de julho de 2024 – terça-feira
Local: Casarão do Sindicato Dos Padeiros De São Paulo (Rua Major Diogo, 285, Bela Vista
Hora: a partir das 9 horas