• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

Artigo: A dose da esperança

Presidente do SindSaúde ABC, Almir Rogério “Mizito” ressalta importância de enfrentar os discursos negacionistas da covid-19 e defende vacina para todos

Publicado: 15 Março, 2021 - 10h32 | Última modificação: 15 Março, 2021 - 15h33

Escrito por: Almir Rogério*

Divulgação/SindSaúde ABC
notice

Ao tomar a primeira dose da Coronavac contra a Covid 19, o ex-presidente Lula, de 75 anos, prestou uma homenagem a todos aqueles que lutam para que o país tenha o imunizante: aos pesquisadores e cientistas que tanto se esforçaram para produzir a vacina e, especialmente, aos trabalhadores e trabalhadoras da saúde, tanto do Sistema Único de Saúde (SUS) quanto da rede privada, que estão há um ano na linha de frente do combate à pandemia.

No início do ano, o SindSaúde ABC (Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Privados de Saúde do Grande ABC) manifestou seu mais alto e irrestrito apoio à vacinação de toda a população, entendendo que essa é uma medida eficaz no combate ao avanço da pandemia do coronavírus. À época, o país registrava a perda de 210 mil mortes, número que já ameaçava de colapso todo o nosso sistema de saúde. Hoje estamos nos aproximando de 280 mil vidas perdidas e o colapso é iminente.

Logo após ser imunizado, Lula afirmou que “tudo que o povo quer é tomar a vacina para se ver livre desse monstro”. Ele disse que estava feliz, “mas estaria ainda mais feliz se tivesse vacina para todo mundo”, completou.

Ricardo StuckertRicardo Stuckert
Lula tomou a vacina no último sábado, 13

A declaração do ex-presidente reforça a manifestação do Sindicato. Entretanto, para que isso aconteça, é preciso que o presidente Bolsonaro (ex-PSL) assuma a responsabilidade de comprar as doses necessárias para todo o povo em vez de tentar desqualificá-la.

Como sociedade brasileira, temos obrigação de combater os negacionistas, aquelas pessoas que não acreditam na vacina e que só ficam falando bobagem e espalhando confusão ao povo brasileiro. Esperamos que o gesto do ex-presidente estimule outras pessoas a tomarem a vacina.

Combinando as medidas de prevenção, como uso de máscara, álcool em gel e isolamento social, além da vacinação em massa, há grandes chances de vencermos esta guerra. A vacina é a nossa dose de esperança. Vacina salva vidas e desafoga o sistema de saúde. Dessa forma, nós, trabalhadores da Saúde, que continuamos na linha de frente, apesar da exaustão, só teremos a agradecer.

*Almir Rogério “Mizito” é presidente do SindSaúde ABC, presidente da Federação dos Trabalhadores em Seguridade Social e integra a Direção Plena da CUT-SP