• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

ABC: Hospital da Mulher em estado de greve; paralisação pode começar sexta (13/03)

Sem reajuste nos salários e benefícios há quase cinco anos, as perdas dos trabalhadores já passam dos 20%

Publicado: 11 Março, 2020 - 13h46 | Última modificação: 11 Março, 2020 - 13h52

Escrito por: Sindicato dos Trabalhadores na Saúde do ABC (SindSaúde ABC)

Divulgação
notice

Em assembleia realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores na Saúde do ABC (SindSaúde ABC) na manhã de terça-feira (10/03), trabalhadores(as) do Hospital da Mulher, em Santo André, aprovaram por unanimidade o aviso de greve a partir da próxima sexta-feira, 13 de março.

A insatisfação é grande no Hospital da Mulher, assim como em todas as unidades vinculadas à Fundação do ABC, pela falta de compromisso da FUABC e prefeituras em honrar as convenções coletivas de trabalho celebradas com o Sindicato.

Sem reajuste nos salários e benefícios há quase cinco anos, as perdas dos trabalhadores já passam dos 20%. A FUABC gerencia unidades em Santo André, São Bernardo, São Caetano e Mauá.

No caso específico do Hospital da Mulher, a pressão é tamanha que muitos funcionários têm procurado o Sindicato para denunciar assédio moral, retaliação das chefias quando os funcionários aderem a algum movimento, além de uma sobrecarga de trabalho que pode trazer consequências muito graves.

Estes são alguns motivos que levaram os trabalhadores a se mobilizar. “Mas o principal é o não-cumprimento da contraproposta feita ao Sindicato pela Prefeitura e Fundação, assinada pelas partes em 3 de outubro do ano passado e ratificada em 28 de outubro, ou seja, 25 dias depois”, afirmou Fábio Bandeira, diretor do Sindicato e funcionário da FUABC.

Ainda esta semana o Sindicato vai pedir o apoio da população e informar que a partir de sexta-feira o hospital deverá atender de forma parcial – exceto na urgência/emergência e outros setores essenciais – até que a demanda dos trabalhadores seja atendida.