• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Brasil Atual
MENU

"A luta de cada um de nós reverteu a decisão da Dura e as demissões"

Carta, tão esperada pelos trabalhadores, enviada pela matriz americana que confirma a decisão de manutenção da planta na cidade, foi lida pelo presidente do Sindicato

Publicado: 14 Março, 2019 - 12h07 | Última modificação: 14 Março, 2019 - 12h13

Escrito por: Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

Adonis Guerra/SMABC
notice

A notícia de permanência da Dura Automotive, em Rio Grande da Serra, pôs fim à tensão dos trabalhadores que começou no início deste ano, quando a fábrica anunciou fechamento. A conquista foi anunciada pelos Metalúrgicos do ABC em assembleia realizada na tarde de ontem, na fábrica.

A carta, tão esperada pelos trabalhadores, enviada pela matriz americana que confirma a decisão de manutenção da planta na cidade, foi lida pelo presidente do Sindicato, Wagner Santana, o Wagnão, e comemorada pelos companheiros.

Na carta aos trabalhadores, a direção americana reconhece que o sucesso da negociação só foi possível graças ao “total comprometimento de nossas lideranças sindicais e força de trabalho”.

“A luta de cada um de nós reverteu a decisão da Dura de fechamento dessa fábrica e da demissão de todos você. Esse papel, pelo qual nós tanto batalhamos, traz um compromisso da fábrica, mas carrega também a esperança de cada trabalhador e trabalhadora”, afirmou.

O presidente lembrou que a primeira conversa que os representantes do Sindicato tiveram com os companheiros na fábrica foi de que o caminho não seria individual e sim coletivo.

“Essa luta é, do ponto de vista do Sindicato, extraordinária. Reverter essa decisão em um momento de crise no setor não é fácil, é quase impossível. Essa carta carrega a história de cada um de vocês que num determinado momento decidiu não desistir de forma alguma. Se possível, guardem uma cópia desse papel e se orgulhem de ter feito parte dessa história”.

“Que felicidade!”, foi assim que o coordenador da Regional Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, Marcos Paulo Lourenço, o Marquinhos iniciou emocionado sua fala na assembleia.

Ele destacou a participação e importância de todos os envolvidos, Sindicato, o prefeito Gabriel Maranhão e vereadores (presentes na assembleia), direção da empresa no Brasil e dos companheiros na Volks, cliente da Dura, que ajudam a fazer a luta. “Todos eles deram o respaldo para a vitória que estamos comemorando hoje e nessa hora de alegria é preciso agradecer todo mundo”.

“A partir da discussão que tivemos no Sindicato, percebemos que poderíamos mostrar para os americanos que essa empresa é viável em Rio Grande da Serra e que os trabalhadores aqui não são só números. Com essa avaliação, iniciamos a luta, e, se conquistamos a vitória, foi porque vocês nos deram todo o apoio”, agradeceu.

Os companheiros da Dura aprovaram a solidariedade aos trabalhadores na Ford que manteve a decisão de fechamento.

“Sou morador de Rio Grande da Serra e sempre quis trabalhar aqui. Sou casado e pais de três filhos que dependem do meu salário. Esse momento após o anúncio do fechamento abalou muito todos nós, seria uma enorme perda para cada um e para cidade. Foi um momento muito difícil, mas agora é um sentimento de alegria. Sentimos que o comprometimento do Sindicato foi muito forte, que eles foram muitos sinceros em todos os momentos e buscaram todas as formas a permanência da Dura”.

Ronaldo Alves Ribeiro, trabalhador na Dura há 10 anos

“Só de falar o choro já entala, foi muito triste mesmo. Essa notícia pegou totalmente de surpresa, mas o Sindicato não deixou a gente desanimar. Na minha casa sou eu, meu marido e dois filhos, um de cinco anos e minha filha que está desempregada e faz curso de moda. Tive receio de ela ter que parar o curso e meu sonho é que ela termine a faculdade. Meu marido estava desempregado desde outubro, a situação estava difícil. Agora você não imagina a felicidade que eu estou, a vontade é de chegar logo em casa para poder dar essa notícia”.

Teresinha de Oliveira, trabalhadora na Dura há 10 anos

carregando
carregando