MENU

A Luta da Secretaria da Mulher Trabalhadora da CUT em 2023 e Perspectivas para 2024

Publicado: 04 Janeiro, 2024 - 16h23 | Última modificação: 04 Janeiro, 2024 - 16h31

Escrito por: Márcia Viana – Secretária da Mulher Trabalhadora da CUT-SP

CUT São Paulo
notice

Em meio aos desafios decorrentes dos retrocessos dos últimos seis anos no Brasil, com o aumento do desemprego, retirada de direitos, precarização do trabalho, desmonte das políticas públicas e crescimento da violência contra as mulheres, a Secretaria da Mulher Trabalhadora da CUT-SP reafirma sua resistência na luta por uma vida mais digna para as trabalhadoras.

Ao longo de 2023, a Secretaria da Mulher Trabalhadora, junto aos coletivos dos sindicatos, Subsedes e Ramos, esteve ativamente engajada em diversas lutas e atividades voltadas para a promoção de políticas para as mulheres.

Entre as conquistas alcançadas, vale ressaltar o compromisso do Presidente Lula com a agenda das mulheres. Um exemplo disso foi o lançamento do pacote de medidas no Dia Internacional da Mulher, em 8 de março. Que tem como objetivo enfrentar as diversas formas de violência contra as mulheres, com especial atenção para a situação das mulheres negras, pessoas com deficiência e membros da comunidade LGBTQIA+.

A aprovação da lei da igualdade salarial faz parte desse conjunto de medidas e representa um avanço central na luta pela equidade de gênero no Brasil, pois promove mais justiça social e econômica, enfrentando e combatendo as disparidades salariais de gênero que historicamente prejudicaram as mulheres.

No entanto, vale destacar a importância de ampliar os  investimentos em políticas públicas e a necessidade da aprovação das convenções 156 e 190 da OIT no Brasil.

A Convenção 156 busca combater a desigualdade da divisão de responsabilidades familiares, o que historicamente serve como obstáculo para o desempenho profissional das mulheres. Já a  Convenção 190 trata da violência e assédio no mundo do trabalho, mecanismo crucial para melhorar as condições de vida das trabalhadoras, juntamente com as medidas mencionadas anteriormente.

Desafios para o ano de 2024

No estado de São Paulo, o Governador Tarcísio tem implementado políticas de desmonte com entrega do patrimônio e empresas públicas que impactam diretamente a vida das mulheres paulistas. Isso inclui cortes no orçamento destinado ao enfrentamento da violência contra as mulheres, apesar do aumento alarmante de estatísticas de violência, estupros e feminicídios no estado.

Diante desse cenário, o ano de 2024 será mais uma vez marcado por mobilizações e lutas para combater as políticas de destruição desse governo.

A Secretaria da Mulher Trabalhadora da CUT-SP reafirma sua luta contra a misoginia, ressaltando a urgência de desnaturalizar a violência política de gênero. Para denunciar essa questão, considera fundamental unificar a luta na construção do Dia Internacional da Mulher no próximo ano. Cabe a toda a organização CUTista empenhar-se na elaboração e execução de atividades ao longo do mês em todas as regiões do estado e na capital.

Por fim, ao considerar as eleições municipais do próximo ano, é indispensável destacar a baixa representação das mulheres nos parlamentos e em cargos de poder, enfatizando a necessidade de aumentar a presença feminina progressista nessas instâncias.

Como parte desse esforço, a secretaria estadual está empenhada em mapear, fortalecer e incentivar candidaturas sindicais do campo democrático popular. Essas iniciativas incluem a construção de propostas a serem incorporadas aos planos eleitorais das candidaturas vinculadas ao sindicalismo para as eleições de 2024.

Encerramos o ano com um calendário intenso de lutas, construídas pelas mãos de todas as mulheres que constroem a luta CUTista, e reafirmamos nosso compromisso, convocando para as diversas lutas deste 2024. Feliz ano novo de muitas conquistas para as mulheres trabalhadoras – Até que todas sejam livres!